Congresso do sono em São Paulo

Um dos destaques do XVIII Congresso Paulista de Medicina do Sono será o especialista argentino Daniel Vigo, do Departamento de Saúde Global e Medicina Social de Harvard

Foto: Pixabay
Credit...Foto: Pixabay

Acontecerá nessa terça (15) a primeira prévia on-line do XVIII Congresso Paulista de Medicina do Sono da Associação Paulista de Medicina (APM). O objetivo é debater os principais transtornos, em avant-premierè, de forma detalhada. Da infância à velhice, enfatizando prevalência e frequência por faixa etária.

Um dos destaques do XVIII Congresso Paulista de Medicina do Sono será o especialista argentino Daniel Vigo, do Departamento de Saúde Global e Medicina Social de Harvard.

Trata-se de expoente na área de Cronobiologia. A cronobiologia refere-se ao ciclo dia-noite que afeta o organismo humano quando a terra gira. Temporizadores geneticamente manifestados residem profundamente em nossos corpos e controlam esse ritmo fundamental. Esse campo, ganhou destaque a partir de 2017 com os americanos ... que levarem o Prêmio Nobel de Medicina em virtude de seus estudos acerca dos clock genes.

“Compreender nosso ritmo biológico é fundamental na situação de isolamento em que nos encontramos. Mudanças na rotina social podem promover desalinhamento com o “relógio biológico”, prejudicando nossa saúde física ou mental. As pesquisas do Dr. Daniel Vigo ajudam a compreender essas mudanças”, comenta Andrea Toscanini, coordenadora do evento e presidente do Comitê de Sono da APM.

Números

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 45% da população mundial sofrem de algum transtorno do sono. Atualmente, cerca de 73 milhões de brasileiros possuem insônia e outros 30%, apneia do sono. Essas doenças são responsáveis, direta ou indiretamente, por consequências negativas na saúde, como por exemplo, aumento do risco cardiovascular, resistência à insulina, risco de acidentes, alterações cognitivas e de humor entre tantas outras que impactam, também, na economia global.

“Teremos a apresentação da nova dinâmica do Congresso Paulista de Medicina do Sono, com aulas menores e mais tempo para as discussões. Falaremos também das Aulas de Imersão, que são aulas para aprofundar os principais temas do Congresso, com médicos de diversas especialidades que trarão a problemática do sono para o dia a dia do consultório”, conta Andrea Toscanini.

Sono e o tempo

O sono da infância à velhice, a prevalência dos diferentes transtornos, a importância da ação multidisciplinar, além do papel dos exames diagnósticos serão temas importantes da prévia do evento.

“O Congresso 2021 está todo planejado para a disseminação da medicina do sono entre as especialidades. É importante que todo médico seja capaz de reconhecer os principais distúrbios do sono”, comenta a coordenadora.

O intuito é divulgar a alta prevalência dos transtornos do sono e mostrar que, independentemente do campo da Medicina, é necessário conhecê-los para agir de forma correta durante o atendimento.

O Congresso de 2021 brinda interface com endocrinologia, geriatria e dor, mostrando a íntima relação entre essas áreas e o peso do sono no manejo de alterações em cada uma dessas especialidades.

“Abordaremos os transtornos mais prevalentes na população, como insônia, apneia e privação do sono. É fundamental que o médico conheça as condições clínicas mais comuns, pois, além de afetar o bem-estar do paciente, podem interferir no manejo de outras doenças”, diz Andrea.

Também será abordada a associação da apneia com o metabolismo e suas repercussões, a privação do sono e seus principais sintomas, como: sonolência, cefaleia, dores, irritabilidade e alteração de humor.

O novo Consenso Brasileiro de Insônia, e a recente diretriz da Academia Americana sobre a abordagem não-farmacológica dos transtornos do sono estão entre os tópicos de discussão, além de de toda a inovação farmacológica dos últimos anos.

O Congresso Paulista de Medicina do Sono acontecerá em 9 e 10 de abril de 2021 e as Aulas de Imersão nos dias 17 e 18 de abril. Para mais informações, acesse .