Eleições 2018: para os produtores rurais tudo pode piorar

O  mundo rural do nosso Brasil é complexo, heterogêneo. Mais de  5 milhões  de estabelecimentos rurais com alta diversidade de culturas, de condições regionais, de porte das propriedades, com condições de alta ou de nenhuma tecnologia. Temos teóricos do desenvolvimento da agricultura e pecuária que primeiro pensam politicamente, depois tecnicamente (o que já compromete a racionalidade). Temos ideólogos da pequena propriedade e maciça influência política dos grandes. No Brasil, o governo propõe vender as hidrelétricas - com seus reservatórios - para os estrangeiros mas é vedado o arrendamento ou propriedade de qualquer gleba para cidadão de qualquer outro país. Quem sabe a influência desse aspecto sobre o valor das propriedades?

As políticas públicas são desconhecidas pois o que fazemos é a simples propaganda do que parece dar imagem ao governo, em qualquer nível. A mídia insiste em falar de ‘agronegócio”, incluindo as indústrias internacionais de insumos e máquinas e, depois da porteira, as processadoras (de carne , leite , soja , etc etc ) também em grande parte de controle estrangeiro. Esse apelidaço encobre o papel, oportunidades e aflições dos produtores dos produtos primários e únicos responsáveis pelo abastecimento. A complexidade do setor não parece ser dominada por nenhum pré-candidato a presidente. 

A Confederação da Indústria reuniu alguns empresários para ouvir propostas e debater. Parece impossível que verdadeiros produtores possam criar um momento parecido dada a diversidade do setor rural, do setor de produtores rurais. Ninguém sabe bem qual é o papel das centenas de entidades, quais são seus orçamentos, origem e destinação de recursos. Entidades públicas e privadas. Por exemplo, qual é a  missão do Senar e o que ele arrecada e aplica no seu município? Seria o mínimo... Não sabemos o que fazem as entidades, onde se superpõem, onde se complementam... Certamente algumas precisam ser extintas, outras ampliadas. Na imagem dos produtores  “cola” a ideia de que são beneficiados por subsídios ou incentivos. Besteira. O que se dá de incentivo de ICMS para algumas indústrias de produtos de consumo em apenas dois ou três estados, é muitas vezes maior que todos os benefícios propostos para todos  os produtores rurais. Assim, o mundo rural é para profissionais, que sejam do ramo, que sejam equilibrados, capazes de olhar para as micro , pequenas, médias e grandes propriedades como parte de um conjunto, do mesmo país. O desafio é para profissionais que conheçam a história dos desastres e sucessos das cooperativas. Precisamos de gente competente que não se impressione com pelegos aboletados nas cadeias de produção. Vamos precisar, para melhorar, de gente informada de verdade sobre o tamanho do desafio rural que não se limita a mera questão de logística. Você tem algum candidato preparado para trabalhar por todos os produtores rurais?  Vamos divulgar?