Steve Jobs alcançou altos e longos voos

Um gênio. Essa é a melhor maneira de qualificar Steve Jobs, líder da empresa mais revolucionária do mundo. Jobs trouxe criatividade e uma cultura de inovação ao mundo dos negócios, o que fez dele bilionário e um exemplo de perseverança. Certa vez, durante um discurso de abertura proferido por ele em Stanford, ele disse: ”Você tem que acreditar em alguma coisa – sua garra, destino, vida, karma ou o que quer que seja. Essa maneira de encarar a vida nunca me decepcionou e tem feito toda a diferença pra mim”. Além disso, Jobs ressaltou: “Mantenha-se ávido; não se leve a sério”, como um conselho para os jovens que estavam se formando na universidade.

Com essa visão, o presidente e fundador da Apple alcançou altos e longos voos, em alturas nunca antes imaginadas, tanto pela audácia, quanto pelo breve e grande  pulo dado por Steve Jobs. Famoso por sua teimosa e determinação, esse gênio do século mostrou que, para conseguir algo digno de nota, é necessário perfeccionismo e relutância. Nesse caminho, ele chegou a financiar, sozinho, alem de ajudar a montar, a Pixar, estúdio de animação por computador que já acumulou  bilhões de dólares de faturamento. Mais um investimento e atitude geniais de Steve Jobs.

No entanto, a sensibilidade dele vai além das cifras e da ciência da computação. Como disse o escritor Michael Moritz, em seu livro que relata o crescimento do império de Jobs, ”Steve sempre teve a alma inquisitiva de um poeta – alguém um pouco distante de todos nós que, desde a tenra infância, andou por seu próprio caminho. Se tivesse nascido em outros tempos, teria pulado em trens de carga e seguido sua estrela”.

A caminhada de Steve Jobs começou, aos 21 anos, montando computador com um amigo, Steve Wozniak, gênio da eletrônica que juntou-se a ele na empreitada, realizada na garagem dos pais. Jobs vendeu a sua Kombi para investir no negócio que lhe parecia promissor, o que se confirmou tempos depois. Além de gênio, o tempo o tornou um artista, que apresentava ao mundo uma jogada inteligente atrás da outra, como os famosos iPod e  iPhone, entre outros. Era obsecado pelo desing e pela funcionalidade.

Sua ousadia o fez fundar a Apple duas vezes. Em 1985, foi forçado a sair da empresa. Mas, quando voltou, em 1996, Jobs promoveu a maior reviravolta na história dos negócios. Aliou design, tecnologia e praticidade e fez da Apple o império como conhecemos hoje. Tornou-se, assim, um ídolo da informática e líder do mundo dos negócios. Ele se consagrou como um mestre nas negociações e em conceber e ajudar a criar produtos inovadores. Apaixonado pelo novo e com carisma de sobra, Steve Jobs passou a ser a face pública da Apple.

Além dos desafios das tecnologias, Jobs também foi colocado à prova pela própria vida. Em 2004, enfrentou e venceu um câncer no pâncreas, o que, para ele, apenas certificou que o valor de uma vida genial está bem além dos bilhões de cifras. Como ele mesmo disse: ”Você tem que encontrar o que você ama”. Ultimamente, Steve Jobs optava por uma vida simples, com muito trabalho, e o mundo experimentava um legado de genialidades deixado por ele. O legado ficou.