Jockey: um clube em pé de guerra

Os sócios do Jockey estão pelas tampas com o presidente Carlos Palermo, há pouco mais de um ano no cargo. Se já havia insatisfação, o negócio agora cresceu muito com os últimos acontecimentos registrados na Gávea. No dia do Grande Prêmio Brasil, no último domingo, 4, mais precisamente depois do Grande Páreo Presidente da República, o pau cantou com cenas de pugilato entre um proprietário de montaria e um comissário de corrida - coisa de quinta na elegante pelouse.

Como se não bastasse o trololó, o presidente autorizou um aumento da taxa de manutenção em valor superior à atualização que ocorre anualmente há mais de 20 anos e sem convocar a  assembleia-geral de sócios, que autoriza ou não o reajuste.

Tem mais: Palermo quer construir um hostel dentro das dependências do clube, uma flagrante irregularidade, sobre a qual certamente terá de prestar satisfações à Prefeitura.