"Amor", de Michael Haneke, não aconselhado para a terceira idade

Sábado passado, terminada a sessão, uma plateia formada essencialmente pela terceira e pela quarta idade mal conseguiu levantar da poltrona do cinema, quase em estado de choque, após a exibição de "Amor", filme de Michael Haneke que disputa o Oscar nas categorias de "Melhor Filme" e de "Melhor FIlme Estrangeiro".

O longa mostra a derrocada de um casal na fase final da vida, em que o personagem de Jean-Louis Trintignant decide cuidar em casa de sua mulher debilitada por uma doença, interpretada por Emmanuelle Riva.

No final, a plateia de cabeça branca só cochichava. "Não quero terminar assim, não!", suspirou uma senhorinha. "Não é um filme para a terceira idade", reclamou outra.