Jornal do Brasil

Economia

Confiança da construção civil aumenta, mas em ritmo lento

Jornal do Brasil

Os empresários da indústria da construção estão mais confiantes. Depois de duas quedas consecutivas, o Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção (ICEI-Construção) medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) subiu para 51,8 pontos em agosto. O indicador, que é 2,9 pontos superior ao do mês passado, está acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa a confiança da falta de confiança.

Mesmo assim, o índice continua abaixo da média histórica de 52,9 pontos e dos 53,8 pontos registrados em maio, antes da paralisação dos caminhoneiros. Em junho e julho o ICEI-Construção foi de 48 e 48,9 pontos, respectivamente.

Para a CNI, os empresários estão mais confiantes em relação ao desempenho futuro do setor, apesar das incertezas políticas e dos efeitos da tabela do frete mínimo.

O indicador de expectativas subiu para 55,3 pontos em agosto, mostrando que há otimismo em relação aos próximos seis meses. Mas o índice de condições atuais, que ficou em 45 pontos, continua abaixo da linha divisória dos 50 pontos, indicando que os empresários estão pessimistas em relação à situação atual dos negócios.

Os demais indicadores de expectativa também subiram e ficaram acima dos 50 pontos neste mês. Isso mostra que os empresários esperam o crescimento do nível de atividade, de novos empreendimentos e serviços, da compra de matérias-primas e do número de empregados nos próximos seis meses.

Com a expectativa de recuperação do setor, o índice de intenção de investimentos aumentou 0,8 ponto em relação a julho e alcançou 32,1 pontos.

Mesmo com a melhora nos indicadores de expectativa, o setor continua enfrentando dificuldades para se recuperar. A sondagem mostra que, embora o ritmo de queda tenha diminuído, o nível de atividade e de emprego no setor continua caindo. O indicador de nível de atividade ficou em 48 pontos e o de número de empregados foi 46,2 pontos em julho.



Recomendadas para você