Jornal do Brasil

Cultura

Era Disco ganha revival na telona e na pista

Jornal do Brasil JOÃO PEQUENO, joao.pequeno@jb.com.br

Nos embalos da programação revivalista da onda disco, o Cine Joia exibe, nesta semana, um festival de filmes inspirados na febre das discotecas que se espalhou de Nova York para o resto do mundo, há pouco mais de 40 anos.

São quatro filmes, um a cada dia, de hoje a quinta-feira, sempre às 20h, sendo dois clássicos da época e outros dois de 1998, já revivendo a época das luzes estroboscópicas, com suas cores refletidas para a pista por globos de espelhos giratórios.

Com curadoria do crítico Mario Abbade, o Festival Discothèque serve de aquecimento para a abertura da festa Discothèque, que estreia no próximo sábado, dia 1º de setembro, no Espaço ExC, nova casa noturna do Jockey Clube Brasileiro, com um icônico time de DJs que vai de Zé Pedro – favorito das festas cariocas no início dos anos 1990 –, passando por Jonas Rocha e Rosana Rodini, até o veterano Amândio, que, neste ano, completa 50 anos no comando das pick-ups.

Macaque in the trees
Chloë Sevigny e Kate Beckinsale brilham nas cenas de "Os últimos embalos da disco"

O festival de cinema e o lançamento da festa ainda coincidem com o lançamento do musical “O Frenético Dancing Days”, com direção geral de Deborah Colker e texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade, que relembra a seminal discoteca fundada por ele próprio, na Gávea, em 1976.

Filme sobre outra lendária discoteca, “Studio 54”, comédia dramática de Mark Christopher (EUA, 1998), abre o Festival Discothèque hoje, estrelado por Salma Hayek, com Ryan Phillippe, Neve Campbell, Mike Myers e Sela Ward. O comediante Myers interpreta Steve Rubell, idealizador da casa que agitava a vida noturna de Nova York com todo o frenesi que lhe deu projeção internacional. Rubell tinha por objetivo dar as melhores festas que o mundo tinha visto e fazer com que elas parecessem durar para sempre, com todos os excessos – inclusive alcoólicos e de drogas ilícitas – que marcaram a época.

Macaque in the trees
Donna Summer interpreta uma cantora iniciante em "Até que enfim, é sexta-feira"
Diversos acontecimentos na discoteca são narrados por Shane O’Shea (Ryan Phillippe), um jovem frentista de Nova Jersey que, em 1979, aos 19 anos, foi até Nova York e conseguiu entrar na discoteca, onde passou a trabalhar como barman e assistiu à sua ascensão e decadência.

Outro revival, “Os últimos embalos da disco” (“The last days of disco”), também uma comédia dramática americana e de 1998. Whit Stillman dirige o longa de quase duas horas, que descreve os últimos dias de uma discoteca, em meio a drogas, sexo e estranhezas, com Chloë Sevigny, Kate Beckinsale, Chris Eigeman, Robert Sean Leonard e Jennifer Beals. Eles encarnam um grupo de amigos que frequentam a boate e estão todos à procura de algo que acham que tornará suas vidas mais gratificantes, seja um amor eterno ou apenas “algo diferente”. A trama é baseada na experiência pessoal de Stillman, 66, frequentador assíduo das discotecas, inclusive da Studio 54, em seus 20 e poucos anos de idade.

Macaque in the trees
"Embalos de sábado à noite" projetou John Travolta como superastro do cinema
Na quarta-feira, é a vez do maior clássico cinematográfico sobre as discotecas. Com o timing de ter sido lançado já em meio à febre das casas noturnas, “Os embalos de sábado à noite” (Saturday night fever) de John Badham (EUA, 1977), catapultou John Travolta, então com 23 anos, para o megaestrelato mundial, no papel de Tony Manero. O jovem de ascendência italiana vive para as noites de sábado na discoteca local no Brooklyn, onde é considerado o rei da pista, graças à sua agilidade e seu talento como dançarino. É na boate que ele conhece Stephanie (Karen Lynn Gorney), com quem começa a treinar para a competição de dança e por quem se apaixona, mas, ao ser rejeitado, tem reações violentas, como as que vivia em casa, em brigas com o pai e no clima de competição com o irmão mais velho, um padre.

Macaque in the trees
Salma Hayek estrela o elenco do filme que lembra o auge da discoteca

O circuito se encerra na quinta-feira, com a participação de uma verdadeira rainha das pistas. “Até que enfim é sexta-feira” (Thank God it’s Friday), de Robert Klane (EUA, 1978), tem a participação Donna Summer, no papel de uma cantora iniciante, cantando “Last dance”, que ganharia o Oscar e o Globo de Ouro de Melhor Canção em 1979. Os Commodores, de Lionel Ritchie, também dão uma canja, tocando “Too hot to trot”, na nova discoteca que vai abrir na sexta-feira. A exemplo dos embalos de sábado, outros personagens do elenco, que inclui Jeff Goldblum, Debra Winger, Terri Nunn e Chick Vennera, se concentram para um concurso de dança, na pista sob o globo giratório.

__________

Serviço

FESTIVAL DISCOTHÈQUE DE CINEMA

CINE JOIA. Avenida Nossa Senhora de Copacabana 680, subsolo - Copacabana; Tel.: 2236-5624. De hoje a 30/8, às 20h. Ingressos: R$ 20.

FESTIVAL DISCOTHÈQUE

ESPAÇO EXC. Rua Jardim Botânico, 1011, Jockey Clube Brasileiro (entrada principal) – Gávea; Tel.: 2249-8980. Sábado, 1º de setembro, a partir das 22h. Ingressos: R$ 100 (antecipado) e R$ 150 (na bilheteria, na hora).



Recomendadas para você