Jornal do Brasil

Cultura

São os do Norte que inspiram e fazem moda

Jornal do Brasil IESA RODRIGUES, Especial para o JB

O Norte e Nordeste do Brasil são regiões ricas. Pelo menos para a moda, já que fornecem profissionais de muita criatividade para as semanas de moda e as vitrines nacionais e internacionais. Basta lembrar de Lino Villaventura (do Pará), Vitorino Campos (da Bahia), Melk-Zdek (de Pernambuco), a família Azulay (do Pará), Geová Rodrigues (de Natal, baseado em Nova York). Ou do Dragão Fashion (Ceará), atualmente o melhor evento lançador do país, onde se destacam marcas com espírito original, tanto na moda festa como na moda praia e jeans.

Macaque in the trees
Jailson Marcos e uma das botas de estilo original

Inspirações adaptadas

Além dos profissionais, o estilo próximo do Equador traz inspirações variadas. Sempre coloridas, com detalhes artesanais, mas com as adaptações que permitem fugir do comércio de feirinhas ou de souvenirs. Um bom exemplo, visto nesta semana, é a coleção de verão da Bianca Gibbon. Uma viagem com a família para Salvador desencadeou as novidades: a estampa de chita, sinhaninhas, cajus e cacau.

Na hora de criar a moda que será usada pelas consumidoras que circulam por Ipanema, Bianca trocou o algodão da chita florida, pela seda em macacões e longos entremeados de babados. A sinhaninha preta arremata barras de leves vestidos brancos. Os cajus formam uma estampa de formato Liberty e o cacau, desenhado em branco sobre fundo marinho, assume o jeito de bandana nas camisas, calças e vestidos.

Macaque in the trees
Macacão em seda com estampa de chita, da coleção de verão de Bianca Gibbon

Depois do lançamento na loja da galeria Ipanema 2000, Bianca se prepara para mostrar estas ideias nos seus showrooms em Vitória, Recife, Salvador e Belo Horizonte.

Homenagens aos colegas

Já o potiguar Jailson Marcos celebra 20 anos de criação de sapatos com uma homenagem aos estilistas brasileiros. “Batizei a coleção de Resistência, pensando nos criadores de moda deste país, que continuam firmes, apesar de todas as adversidades. Recordei também as várias fases do meu próprio trabalho: muitos clientes traziam modelos que tinham há muitos anos.

Virou bordão: ‘Não acaba, parece nova’. Fiquei feliz que um produto artesanal passasse a ideia de exclusividade e durabilidade”, explicou Jailson, que se mudou do Rio Grande do Norte para se basear, desde os anos 1980, em Recife, onde mantém ateliê em casinha de vila – point turístico frequentado por Carlinhos Brown, embaixador da sua marca.

Quem espera ver referências a grifes nacionais nos modelos, vai se deparar com outras histórias. Na verdade, a justificativa do nome Resistência abrange materiais como telas de nylon transparente, cordões, solados emborrachados, resíduos de outros fabricantes e revestimentos usados na indústria automobilística. A inspiração do design sai dos ugly sneakers, os tênis agora considerados feios, calçados nos anos 1990, que rondam as coleções internacionais atuais.

Na adaptação do Jailson Marcos, os sapatos são cheios de recortes e materiais que permitem o pé respirar e, se forem molhados, secarem rapidamente. A intenção é um tênis arejado, que vai da trilha à happy hour.

Macaque in the trees
Design arejado e arrojado na sandália de tela e couro, de calcanhar aberto



Recomendadas para você