Jornal do Brasil

Segunda-feira, 23 de Abril de 2018 Fundado em 1891
Sol Maior

Colunistas - Sol Maior

Os 20 anos de Música no Museu

Jornal do Brasil Maria Luiza Nobre

O projeto Música no Museu foi criado pelo empresário Sergio da Costa e Silva em 1997 e teve como exemplo o sucesso dos concertos realizados na Europa e nos Estados Unidos, muito comuns em museus e igrejas. A idéia já estava em pauta e após conversa com a grande dama das artes plásticas Heloisa Lustosa, que na época dirigia o Museu Nacional de Belas Artes, foi logo aceita formando assim o sucesso de concertos com platéias sempre lotadas, e , assim nascia a série Música no Museu, que já dura 20 anos.

Reconhecida pelo RankBrasil, a versão brasileira do Guinness Book , representou uma mudança no calendário musical da cidade, pois a série que acaba em dezembro, recomeça imediatamente em janeiro com os Concertos de Verão, e apesar do clima quente da cidade, todos os concertos são disputados nos locais sempre muito bem refrigerados. Jamais a cidade teve concertos em janeiro,pois as temporadas só começavam em março e muitas somente em abril!

Entre as muitas inovações veio o Festival Internacional de Harpas, quando a cidade do Rio de Janeiro entra no calendário internacional da música, tornando-se a Capital Mundial da Harpa, o que todos já estão acostumados. É uma verdadeira loucura a correria constante do público para ver os concertos que vão desde  ao centro da cidade até o Forte de Copacabana, um vai e vem arrepiante, de instrumentos, artistas, e tudo a serviço da música.

As emoções podem ser grandes e números também, pois a série nesses 20 anos, foi palco de 4000 músicos nacionais e internacionais, vindos de todos os países do planeta para se apresentarem na cidade maravilhosa que tão bem foi traduzida em um quadro da artista plástica Isabela Francisco, entre ouros artistas plásticos.

Com mais de 500 concertos por ano, de norte a sul do Brasil, e desde 2006, com apresentações na sala de música de câmara do Carnegie Hall em Nova Iorque, Lacma em Los Angeles, Kennedy Center em Washington, Republica Tcheca, Marrocos, India, Itália, Alemanha, Austria, Chile, Argentina, Vietnam e Australia, leva músicos e a música brasileira para o exterior.

Várias participações expressivas como as comemorações de 200 anos da Chegada da Corte de Portugal ao Brasil com concertos no Rio de Janeiro e nas cidades históricas de Minas Gerais e de  Portugal, o primeiro evento cultural em São Cristóvão, Sergipe, logo após a escolha dessa cidade como patrimônio cultural da Humanidade pela Unesco e em julho de 2013, na visita do Papa Francisco ao Brasil, quando realizou 30 concertos só com músicos jovens dentro da programação do Encontro Mundial da Juventude, são apenas algumas das extensas realizações do projeto.

Sediou em 2009 a Pianestival, Festival Internacional de Pianistas Amadores pela primeira vez na América Latina e que até então era somente realizado em cidades da Europa e África, da mesma forma esteve presente, em 2010, no Concours S.A.R Princesse Lalla Meryen , que é o Concurso Internacional de Piano do Marrocos, oferecendo inclusive um dos prêmios, com a apresentação dos vencedores no Palácio São Clemente,Consulado de Portugal no Rio de Janeiro.

Também renova o panorama da música clássica no Brasil através do Concurso Jovens Musicos-Musica no Museu, já na nona  versão e que recebe a cada ano uma bolsa de U$105 mil da James Madison University-uma escola Steinway- para o vencedor. Oito jovens músicos brasileiros já cursaram e cursam esta Universidade.

Ao completar 15 anos em 2012, realizou uma programação especial que incluiu os melhores concertos da Série com destaque para a apresentação do pianista Nelson Freire em São João del Rei, com uma prévia do  concerto em Tiradentes. Outro grande diferencial da Série é a absorção de iniciativas sociais junto a Comunidades dando espaços para apresentações de suas orquestras em nossos espaços.

Nestes 20 anos de atividades já registra um público superior a um milhão de  pessoas, segundo Sergio da Costa e Silva, e uma mídia espontânea de milhares de registros em vários segmentos da imprensa escrita e falada. Realiza pesquisa dinâmica de seu público no Rio de Janeiro com o perfil por idade, profissão, bairro e meio de transporte e que já  gerou um mailling superior a  110.000 nomes, recebendo  a programação mensal, semanal e diária através de uma empresa de e-marketing.

Musica no Museu no Google tem mais milhões de registros e o seu site www.musicanomuseu.com.br

A coluna parabeniza a Série Música no Museu !



Tags: arte, coluna, cultura, maria luiza nobre, música, sol maior

Compartilhe: