Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Sol Maior

Aprile Millo no Rio de Janeiro!

Maria Luisa Nobre

Semana fervilhando de tantas emoções, exatamente como o Rio de Janeiro precisa, de ter sempre muitas opções para o público que tanto aprecia e aplaude os eventos da antiga capital cultural do país.

Diva americana carismática, talentoso pianista húngaro, pianista expressivo português, instituição que completa mais de meio século, duas orquestras cariocas, barítono paulista, série de concertos diária e livro em São Paulo? Muitos enigmas, todos escolhas fantásticas, difícil fazer a agenda, inclusive com dois concertos no mesmo dia e no mesmo horário. Para ter a reflexão necessária com as melhores opções, basta só clicar na foto abaixo, e o melhor da música clássica também está aqui. Boa semana!

 

DIVA APRILE

Um dos concertos mais esperados da atual temporada, será a volta ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro,da cantora americana Aprile Millo, que tanto encantou seus inúmeros fãs, amantes da ópera, após 28 anos , quando foi ovacionada pelo público carioca.

O Concerto “Aprile Millo in Rio”, um espetáculo lírico, será realizado no dia 20, às 17h, com a direção e concepção de Fernando Bicudo. No programa, que reúne árias e duetos famosos do repertório clássico, serão ouvidas obras de  Puccini, Verdi, entre outros, além de um tributo a Carlos Gomes.

O diretor Fernando Bicudo destaca a presença de Maria Vetere, jovem revelação de soprano canadense, e a participação especial de exponenciais intérpretes líricos como os tenores Fernando Portari e Eric Herrero,além do barítono David Marcondes. Ao piano, terá o acompanhamento de Priscila Bomfim. Na primeira parte do concerto, será apresentada uma seleção popular de trechos de óperas famosas. E na segunda, um Tributo aos 180 anos de Carlos Gomes, considerado o melhor compositor de óperas das Américas. Ainda completa que “Também vamos comemorar os 30 anos de criação do maior espetáculo operístico já realizado no Brasil: "Aida",de Verdi, estrelada pela soprano Aprile Millo, consagrada mundialmente como a última grande representante da tradicional escola de canto italiana. Após temporada de 15 récitas com lotações esgotadas, o Projeto Aquarius reuniu um público recorde de meio milhão de pessoas para assistir a essa espetacular encenação completa da ópera "Aida", de Verdi. 

Bicudo acrescenta que “essa versão de “Aida” foi, em seguida, levada para o Metropolitan Opera, com a mesma Aprile Millo, e ganhou o Prêmio Emmy de Melhor Espetáculo das Artes Clássicas de 1989. Esta é a produção de ópera de maior sucesso de público do Metropolitan nos últimos 30 anos, e nasceu no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1986”, afirma. Nesta apresentação de “Aprile Millo in Rio”, dia 20, no Theatro Municipal, haverá trechos de “Aida”.

No Rio, antes da apresentação no Theatro Municipal, as cantoras Aprile Millo e Maria Vetere irão cantar na capela da Estátua do Cristo Redentor, no dia 17, às 16h, e rezar pela Paz no mundo, a diminuição da violência e todo tipo de intolerância. Ao anoitecer, a Estátua do Cristo será iluminada de branco e vermelho, as cores da Paz e do Amor. Também são as cores nacionais do Canadá que celebra 150 anos.

Ingressos e informações: 2332-9191

Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Praça Marechal Floriano, s/nº - Centro

 

ANDRÁS SCHIFF

O grande pianista húngaro, András Schiff, intérprete expressivo das obras de  Beethoven e Bach, atualmente radicado na Inglaterra, faz um recital no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro,  no dia 19, às 16h, na Série Dell’Arte Concertos Internacionais.

No programa obras de J.S.Bach, Béla Bartók, Leoš Janácek e Robert Schumann. 

Ingressos e informações: 2332-9191

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Praça Floriano, s/nº -  Centro

 

ACADEMIA

A Academia Brasileira de Arte chegou, no dia 12 de agosto, aos seus 75 anos de existência, e será festejada com um coquetel oferecido pelo casal Joana e Aloysio Maria Teixeira Filho. A importante instituição congrega nomes de expressão no mundo das artes visuais, da música, das letras, da arquitetura e do patrimônio artístico, da crítica, do teatro, do cinema, da dança, do design, da moda, do colecionamento de arte e do empreendedorismo cultural. Seus anais guardam nomes como os de Tristão de Athayde, Cláudio de Souza, Eliseu Visconti, Roquette Pinto, Gustavo Capanema, Villa-Lobos, Rodrigo Mello Franco, Joracy Camargo, Oswaldo Teixeira, Francisco Mignone, Leão Velloso, Oscar Niemeyer, Gilberto Freyre, Marcos Almir Madeira, Abelardo Zaluar, Henrique Mindlin, Pedro Calmon, Orlando Teruz, Pascoal Carlos Magno, Pontes de Miranda, José Siqueira, Celita Vaccani, Sábato Magaldi, Israel Pedrosa, José Paulo Moreira da Fonseca, Alceu Bocchino, Paulo Geyer, Sergio Rodrigues, Vasco Mariz e Sergio Fadel.

Sua trajetória pode ser dividida em quatro fases: de 1942 a 1955, sob a inspiração de Ataulpho de Paiva, seu patrono e fundador; em 1964, reorganiza-se sob a liderança de Nestor Egydio de Figueiredo, que a conduz até 1972; de então até 2010 passa à presidência de Agenor Rodrigues Valle e, a partir daí, à direção de Heloisa Aleixo Lustosa.

Suas 40 cadeiras tiveram até hoje 103 ocupantes, afora os atuais titulares, nas Artes Visuais, Anna Bella Geiger, Eduardo Sued, Evandro Carneiro, Luiz Aquila, Mario Mendonça, Sergio Telles, Thereza Miranda e Ziraldo. Na Música, Marlos Nobre, Haroldo Costa, Ricardo Tacuchian, Maria Helena de Andrade, Turibio Santos. Nas Letras, Afonso Arinos, Alexei Bueno, Antonio Fantinato, Cláudio Murilo Leal, Marcos Azambuja. Na Arquitetura e Patrimônio, Dora Alcântara, Lauro Cavalcanti, Maria Beltrão e Angelo Oswaldo.No Teatro, Nathalia Timberg e Sergio Fonta. Na Dança, Dalal Achcar. No Cinema, José Joffily. Na História e Crítica de Arte, Angela Ancora da Luz, Carlos Soulié do Amaral, Heloisa Aleixo Lustosa, Ricardo Cravo Albin, Sylvio Lago. No Design, Victor Burton. Na Moda, Hildegard Angel. No Colecionamento e Empreendedorismo Cultural, Harilda Larragoiti, João Candido Portinari, João Mauricio Pinho, Patrick Meyer, Paulo Barragat, Sergio da Costa e Silva e Victorino Chermont de Miranda.

Entre as diversas atividades realizadas estão, expressivas palestras abertas ao público, premiações, sessões de homenagem e solenidades acadêmicas, constituindo-se num agradável locus de trocas intelectuais e sociabilidade. No correr da atual administração, à semelhança do que fizera em 1965, comemorou, com um ciclo de palestras sobre os diversos segmentos da arte, os 450 anos da fundação do Rio de Janeiro, celebrou os bicentenários  de Mestre Valentim, do Aleijadinho e da chegada da Missão Francesa, os centenários de Nelson Rodrigues, Geraldo França de Lima, Vinicius de Morais e Antonio Callado, os 70 anos de falecimento de Mario de Andrade e os 60 de Cecília Meirelles, e deteve-se sobre aspectos importantes da atualidade cultural como a Economia Criativa, o Grafite e a Arte Urbana, o papel da Bibliofilia, o Instituto Casa Roberto Marinho, a azulejaria portuguesa no Brasil e a arte da porcelana chinesa. E, em parceria com a SAMAS – Associação de Amigos da Igreja de N. S. do Carmo da Antiga Sé e outras instituições culturais, vem comemorando os 250 anos de nascimento do Padre José Maurício, em amplo programa musical.

Possui, ainda, um quadro de correspondentes estrangeiros, por onde passaram, dentre outros, Léopold Senghor (Senegal), Marcel Landowsky (França), Remo Branca (Itália), David Hunt (Inglaterra), e é hoje integrado por Bernard Dadié (Costa do Marfim), André Cira e Claire Denis (França), Luiz Felipe de Castro Mendes, Cristina Castel-Branco e Gonçalo Vasconcelos de Sousa (Portugal), Maria Rosa Calvo y Manzano (Espanha), Aniello Avella (Itália) e George Nelson Preston (EUA).

NESTROVSKI

Para quem estiver em São Paulo, uma ótima opção é o lançamento do mais recente livro de Arthur Nestrovski, com 150 fotos de árvores, cada uma associada, de modo inteiramente pessoal, a um compositor. O livro inclui discografia com cerca de 400 títulos, também vinculada a uma playlist no Spotify. O evento será no próximo dia 26, na Livraria da Vila Lorena, começando às 11h30, com um Pocket Show com a cantora Lívia Nestrovski, seguindo os autógrafos.

Informações: www.circusproducoes.com.br/nestrovski

Livraria da Vila Lorena

Al. Lorena 1731, Jardim Paulista – São Paulo

 

ADRIANO JORDÃO

O importante pianista português, Adriano Jordão está na cidade para alegria de seus amigos e para fazer um recital no dia 22, às 19h, na Série “Música no Palácio” promovida pelo Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário. O evento será realizado na Sala Multiuso do CCMJ.

Informações: 3133-3366 e 3133-3368

Entrada Franca

Distribuição de senhas: 18h30min

Sala Multiuso  - Antigo Palácio da Justiça

Rua Dom Manuel, 29 - Térreo - Centro

 

CANTO E PIANO

O barítono Paulo Szot e o pianista Nahim Marun, fazem um único recital, dia 18, às 20h, na Sala Cecília Meireles. No programa obras de G.Mahler, M. Ravel, G. Verdi, P. I. Tchaikovsky, entre outros.

Ingressos e informações: 2332-9223 e 2332-9224

Sala Cecília Meireles

Largo da Lapa, 47 - Centro

CESGRANRIO

A Orquestra Sinfônica Cesgranrio se apresenta dia 20, às 11h, na Sala Cecília Meireles, sob a batuta do maestro Eder Paolozzi. No programa a primeira audição no Brasil, da obra Masiá Mujú, um concerto para flauta e orquestra inspirado nas melodias da cultura indígena venezuelana, da compositora uruguaia Beatriz Lockhart. Como solista da obra, a flautista Sofia Ceccato, que recentemente estreou a obra em Montevidéu. Ainda no programa, “Uirapuru” de H.Villa-Lobos, e a suíte do “Pássaro de Fogo”,de I. Stravinsky, na sua versão de 1919. O concerto terá a participação do índio Anuiá Amaru, que executará obras de sua autoria em uma flauta construída por ele mesmo e trará algumas explicações ao público acerca da música indígena.

Ingressos e informações: 2332-9223 e 2332-9224

Sala Cecília Meireles

Largo da Lapa, 47 - Centro

OPES

A Orquestra Petrobras Sinfônica faz um concerto, dia 20, às 11h30, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob a a batuta do nosso querido maestro Isaac Karabtchevsky, Diretor Artístico e Regente Titular do conjunto. No programa, a Cavalaria Ligeira de Franz Von Suppé, o  Prelúdio da Bachiana n° 4 de H.Villa-Lobos, a Abertura da ópera La gazza ladra de Gioacchino Rossini, a Dança húngara n° 5 de J.Brahms e o Capricho Italiano de P.I.Tchaikovsky.

Ingressos e informações: 2332-9191

Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Praça Marechal Floriano s/nº -  Centro

 

MÚSICA NO MUSEU

A série de concertos diários apresenta várias opções na semana.

Dia 17, às 18h

Rio em Canto e regência de Marcelo Saldanha, violão

Programa de Clássicos Brasileiros

Centro Cultural Justiça  Federal  - Sala de Sessões

Av. Rio Branco 219 - Centro

 

Dia 18, às 15h

Orquestra de Cellos das Comunidades Pacificadas

Programa de Clássicos Internacionais

Centro Cultural Justiça Federal

Av. Rio Branco 241

 

Dia 20, às 11h30

Camerata do Uerê

Programa de Clássicos Brasileiros

Museu de Arte Moderna

Rua Infante Dom Henrique -Centro

 

Dia 21, às 19h

Encontro Voz e Energia – Coral do Cepel e Coral da Eletrobrás

Direção Musical de Crismarie Hackenberg

Programa de Música Vocal MPB

Biblioteca da Maison de France

Av. Presidente Antonio Carlos 58 – Centro

 

Dia 23, às 12h30

Trio Diogo Cruz,violão, flautista Tinho Martins, e Didier Fernand,baixo acústico   

Programa de Música de Concerto com influencia da música antiga ao contemporaneo

Centro Cultural Banco do Brasil  - 4º andar - Sala 26

Rua 1º. de Março 66 - Centro

Dica da semana - Concerto Imperador de Beethoven, por Arthur Rubinstein

Tags: coluna, luiza, maior, nobre, sol

Compartilhe: