Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Outubro de 2017

Sol Maior

Evoé, Momo! Milton Gonçalves assume o Municipal

Maria Luiza Nobre

Chegou o Carnaval, festa que para uns é a realização de sonhos e para outros é um período de descanso para a continuação do ano que tanto queremos que seja positivo e próspero.

Período também de reflexões, que antecedem a Páscoa onde a generosidade, a espiritualidade e as energias são renovadas. Coloco isso porque refleti muito durante esses dois dias com a nomeação do novo diretor da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Os cargos públicos não são vitalícios, com pouquíssimas exceções, e quem é escolhido para uma função de confiança deve saber que na mudança de cada governo, quem chega tem total liberdade para escolher sua nova equipe. O novo Secretário de Estado da Cultura é o competente André Lazaroni que chegou com toda a força política e de trabalho, o que representa já a vontade de acertar. Convidou o grande ator Milton Gonçalves para exercer o cargo de Presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro e que devemos aplaudir e colocar todas as esperanças em novos rumos e novos ares. Toda mudança é salutar, representa o novo, que apesar de ser desconhecido pode parecer o acerto. Ressalto que da mesma forma que o Theatro Municipal teve uma diretora vinda do teatro e do cinema , depois foi a hora da música clássica com a gestão que ora se acaba.

E retornando ao teatro, ao palco da casa um administrador de primeira linha, um ator premiadíssimo, muito talentoso, muito culto , que inclusive já externou sua familiaridade com a música clássica. Para uns pode parecer desconhecido, mas para outros altamente um realizador. Nunca se pode falar que não vai dar certo, porque assim não foi falado nos inícios das gestões dos seus antecessores. É tentar prever o imprevisível.  Pondero, as mudanças são salutares, às vezes até necessárias por se tornarem renovações. Acho pessoalmente, de verdade, muito ruim a permanência por décadas dos mesmos gestores nos cargos, porque tudo começa muito bem, mas depois os equívocos aparecem contribuindo por escurecer uma imagem que parecer ser um ideal.

Sendo assim os novos rumos da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro devem ser observados, acompanhados antes de qualquer manisfestação de repúdio ou  de desacordo. Espero que o  novo presidente tenha sua mente aberta para todos os setores da cultura musical, em toda sua pluralidade.

O aplauso da coluna ao nome do grande ator Milton Gonçalves, artista brilhante e sensível  a todas as tendências da arte e o voto da coluna de total êxito em sua gestão que ora se inicia.

Tags: Luiza, coluna, maior, nobre, sol

Compartilhe: