Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

Sol maior

Michel Legrand encanta o Rio

Maria Luiza Nobre

Com um Theatro Municipal do Rio de Janeiro lotado, na noite da última sexta-feira,dia 11,sentia-se um ar de nostalgia, paixão e muitas recordações. Todos esperavam a entrada em cena de um dos maiores ícones da música internacional que é o compositor,arranjador e pianista Michel Legrand, que ficou conhecido mundialmente por cantar o amor, a paixão com suas músicas que ganharam o planeta, sobretudo através do cinema,como por exemplo The Windmills of Your Mind, Yentl, The Summer of’42 e What are you doing the rest of your Life,e mesmo Les Parapluies de Cherbourg, dentre seus diversos sucessos. 

Aos 82 anos o músico está fazendo uma turnê mundial com seu trio de jazz, vindo ao Rio de Janeiro convidado pela Dell’Arte, na Série Jazz  all nights. Legrand está namorando e vai se casar em Paris e temos a certeza de que ainda tem muita paixão a dar,pelo super concerto que assistimos.

Maria Luiza Nobre e Michel Legrand
Maria Luiza Nobre e Michel Legrand

Várias pessoas me perguntaram o que achamos de sua voz, mas apesar de observarmos que não é mais a mesma, tivemos a certeza de que seus dedos continuam maravilhosos,dedilha o piano com uma virtuosidade ímpar, isto é definitivo. Aliás o palco é a sua casa onde anda ,fala com o público e reparte a cena com os também impecáveis músicos de seu Trio, o contrabaixista Pierre Boussaguet,que é dono de uma precisão rítmica formidável e o não menos talentoso baterista François Laizeau, considerado como um dos mais importantes bateristas da atualidade. A afinidade e a cumplicidade são notáveis,o pianista mesmo admira quando seus pares fazem os solos com as improvisações no melhor do jazz,vibra e alimenta o belo. Os aplausos e os bravos que recebeu nada mais são do que a melhor maneira do público admirar e agradecer um ídolo que passa por várias gerações,cantando sempre o amor, às vezes impossível, às vezes realizado.

Vários casais estavam com as cabeças coladas,quem sabe lembrando de suas paixões,e muitos com os cabelos bem brancos, iguais ao mestre Legrand. Complementando o sucesso do concerto estava a bela iluminação do palco,que merece também nossos aplausos. 

O que mais gostamos na noite além da música do grande Michel Legrand? Foi o fato da colunista lembrar que esteve viajando com Legrand para Moscou,o que ele lembrou logo,na época que moramos em Paris e eu trabalhava na UNESCO,para fazermos parte da 1ª Reunião sobre o Desarmamento Nuclear,exatamente na Comissão de Cultura,juntamente com a escritora Marina Vlady, Yoko Ono, o maestro Marlos Nobre, todos e muitos mais,como convidados especiais do então presidente da antiga União Soviética,Mikhail Gorbachev. Ficamos uma semana em Moscou,em 1986,no hotel Kosmos,todos preocupados com o acidente em Chernobyl que tinha acabado de acontecer apenas um dia antes da nossa chegada na capital russa, o que foi sem dúvida uma semana pesada, mas voltamos todos, no mesmo vôo para Paris.

Viver é lembrar e de verdade a apresentação de Michel Legrand foi excelente e devemos confessar que várias músicas ouvimos com os olhos fechados, de verdade lembrando o amor.

O BRAVO da coluna ao concerto.  

Tags: Artigo, colna, JB, maior, nobre, sol

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.