Jornal do Brasil

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Sol maior

Agenda da semana: palmas? Tradição e traição

Maria Luiza Nobre

Semana com as orquestras cariocas no palco, óperas ao vivo, concertos de música de câmara, lançamentos ,vida musical começando a ficar agitada, bem como a coluna gosta. Estrelas internacionais chegando, o Rio de Janeiro pouco a pouco volta ao ritmo normalde uma cidade com muita música clássica. Na dúvida do que escolher? Clica na foto, e terá a certeza de ouvir o melhor da música clássica escolhida com todo cuidado para o prazer dos leitores. 

PALMAS – Depois do link, na coluna da semana passada,com o público batendo palmas entre o primeiro e o segundo movimento da Sonata nº7 de Prokofiev,executada com perfeição pelo pianista Lang Lang,o que mais me pediram para explicar era exatamente qual seria a hora certa de  bater palmas. Uma vez que o fato acima aconteceu em uma das salas mais importantes de concertos de Viena,na Áustria,a Musikverein,gostaria de fazer ainda  algumas considerações.

Bater palmas em hora errada é um indicativo de falta de gentileza do ouvinte com o músico. Ninguém é obrigado a conhecer música,mas o melhor é ter prudência. Na maioria dos concertos existe o programa,onde é possível ler todas as informações sobre as obras que serão executadas, os respectivos compositores, assim como todos os movimentos de cada obra, isto é as divisões de cada uma. O desenvolvimento de uma obra, para um artista,é um ritual mental,onde as memórias auditiva,visual e motora, por exemplo,são acionadas,é o momento crucial em que a concentração deve ser pura,qualquer tipo de ruído ou barulho poderá ter consequências desagradáveis na macro linha da execução. Para melhor exemplificar, um concerto com orquestra ou um recital são obras fechadas, com segmento de continuação de silêncio,onde no caso a transição de um movimento para o outro se faz pela mudança de clima,e o silêncio é primordial para a passagem de um movimento para o outro. Vamos combinar que não se pode comparar com uma ópera, que está exposta aos aplausos das belas árias,sendo esses aplausos uma tradição que não pertuba em nada, pelo contrário, estimula o intérprete a dar o máximo de si mesmo, repito ,na ópera. Na música de concerto,ao contrário,as palmas entre os movimentos de qualquer obra perturbam sim, tanto a concentração do regente, do solista e de toda a orquestra, fato incontestável e notório. Fica a dica da coluna, mesmo após ter lido o programa,se tiver dúvidas na hora certa de bater palmas,para não errar,basta colocar as mãos no colo e esperar os mais experientes baterem as palmas,aí sim,é a hora do crescendo dos bravos,o que todo artista adora. 

Tenho uma frase que já é bem conhecida: Bater palmas na ópera é uma tradição e bater palmas na música de concerto é uma traição. 

ELIXIR – O Projeto Domingo no Municipal apresenta no próximo dia 6, às 11h, um concerto com trechos da ópera Elixir do Amor de Gaetano Donizetti, com solistas do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde árias da conhecida ópera serão cantadas em forma de concerto,que ao invés de uma orquestra,contará com o piano de Priscila Bomfim. Os solistas serão devidamente caracterizados com figurinos,maquiagem e iluminação cênica. A encenação terá a assinatura do diretor Inácio de Nonno,a direção musical será do maestro Jésus Figueiredo,e a direção geral de Bruno Furlanetto. Sobem ao palco a soprano Danielle Gregório,o tenor Ivan Jorgensen,o barítono Fabrizio Claussen e o baixo Cícero Pires.

O ingresso tem o valor único de R$ 1,00,o que é uma oportunidade para a formação de platéia. Informações: 2332-9191.

O Projeto Ópera do Meio Dia também fará apresentações da mesma ópera no Foyer do Theatro Municipal do Rio de Janeiro,contando com o mesmo elenco e com récitas marcadas para os dias 02, 09, 16 e 30 de abril, sempre às quartas-feiras, às 12h, e ingressos com o preço único de R$ 5,00. 

OPES – A Orquestra Petrobrás Sinfônica faz duas apresentações gratuitas dentro da Série Mestre Athayde. Os concertos serão dia 5, às 16h, na Igreja São João Batista da Lagoa e dia 6, às 18h ,no Theatro Dom Pedro,em Petrópolis. A regência será do maestro André Cardoso com um repertório de obras brasileiras,dando ênfase ao  Concertino para Violino,Violoncelo e Orquestra de Ernani Aguiar,especialmente encomendada por Carlos Mendes e Hugo Pilger. Informações: 2538-2926 (concerto do dia 5) e (24)2244-3205 (concerto do dia 6). Entrada franca. 

LA BOHÈMEDia 5, às 13h55 é o dia da transmissão ao vivo de La Bohème, de Giacomo Puccini,considerada a ópera mais encenada da história do Metropolitan Opera House de Nova Iorque. A exibição ,que faz parte da atual temporada do teatro americano,será em alta definição e no Rio de Janeiro poderá ser apreciada no UCI New York City Center na Barra da Tijuca e no UCI ParkShopping Campo Grande. Para todas as informações: 2461-1818 (Barra da Tijuca) e 2461-1107 (Campo Grande). 

MECHETTI – O maestro paulista Fabio Mechetti ,atual diretor musical e regente titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, sobe ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para reger a Orquestra Sinfônica Brasileira,no próximo dia 5,às 17h. Mechetti que fez seu aperfeiçoamento na célebre Juilliard School de Nova Iorque e atuou como regente associado da Orquestra Nacional de Washington, terá como solista a pianista russaYulianna Avdeeva,vencedora do Concurso Internacional Frédéric Chopin, em Varsóvia,em 2010,sendo a segunda mulher a vencer o certame depois da talentosa pianista argentina Martha Argerich.No programa as Bachianas nº9 de H.Villa-Lobos, o Concerto para Piano e orquestra nº 21 de W.Mozart e o Concerto para Piano e Orquestra nº1 Op.11 de F.Chopin.

A entrada é franca com os ingressos disponibilizados uma hora antes do concerto. Informações: 2332-9191. 

OUTEIRO – O desembargador José Carlos Schmidt Murta Ribeiro, atual Provedor da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro,convida para o lançamento do livro sobre a história da Irmandade do Outeiro da Glória no próximo dia 3 às 18h, no Salão de Festas da Igreja. 

NAZARETH – O grande compositor brasileiro Ernesto Nazareth tem agora seus manuscritos fazendo parte da Memória do Mundo,uma das categorias de Patrimônio Cultural da Humanidade da UNESCO,que é específica para documentos de grande importância,atualmente com uma lista contendo mais de 300 documentos,inclusive com a 9ª Sinfonia de L.Beethoven,a bíblia de Gutenberg.Para maior conhecimento do compositor e de sua expressiva obra, sugerimos o site Nazareth 150anos, ernestonazareth150anos.com.br/ tão bem direcionado pelo musicólogo Luiz Antonio de Almeida.

ACADEMIA – A Academia Carioca de Letras convida para o Ciclo de Palestras de 2014, dia 7, às 17h30, tendo como convidada Bárbara  Heliodora, falando sobre o Teatro Carioca. O evento será na sede da instituição,Rua Teixeira de Freitas 5 /306 na Lapa, e faz parte da nova equipe da casa tendo como Presidente Ricardo Cravo Albin e como Diretora Miriam Halfin. Entrada franca.

MÚSICA NO MUSEU -  A série de concertos apresenta hoje,às 12h30 no Memorial Getulio Vargas,na Glória, o Maestro Budega e Cavaquinho Sinfônico,com programa de clássicos brasileiros. Dia 4,às 12h30,no Centro Cultural Light, recital do violonista Gaetano Galifi, dedilhando obras de  Bach, Radamés Gnatalli e Gaetano Galifi. Dia 5,às 17h,no Clube Hebraica,violonista Adriana Balleste, fazendo um programa João Pernambuco, Bach e  Villa-Lobos. Dia 4,às 11h30,o já tradicional recital no Museu de Arte Moderna,MAM, apresentando o pianista  Newton Nazareth,com programa Ernesto Nazareth. Dia 7, às 12h30 , na Biblioteca Nacional,violonista Adriana Balleste com programa João Pernambuco, Bach e Villa-Lobos.

Dia 9,às 12h30,no Centro Cultural Banco do Brasil,recital do pianista Cláudio Vettori com obras de Bach,Beethoven e Villa-Lobos. 

Dica da Semana - Orquestra de cordas e pianistas tocando Bach/Vivaldi 

Tags: coluna, JB, maior, música, nobre, sol

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.