Jornal do Brasil

Segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Sol maior

Maestro Lorin Maazel rege OSB

Maria Luiza Nobre

A temporada de 2014 da Orquestra Sinfônica Brasileira traz várias surpresas, e a maior delas é a vinda,mais uma vez ao Rio de Janeiro,do carismático maestro americano Lorin Maazel,considerado uma das mais célebres batutas da atualidade. O regente estará com o conjunto em três concertos do Ciclo Mozart-Tchaikovsky,quando apresentará as três últimas sinfonias escritas por cada um destes compositores. O espetacular flautista Sir James Galway com mais de 30 milhões de álbuns vendidos é uma das grande apostas da OSB ao lado da mezzo-soprano Jennifer Larmore e de Albert Mayer,primeiro oboísta da Filarmônica de Berlim. A relação de artistas convidados é muito maior, tendo ainda na regência, o alemão Clau Peter Flor que fará sua estréia na cidade, além de Lorin Maazel e de Roberto Minczuk,regente titular do conjunto. Serão solistas pela primeira vez com a OSB,a violinista Arabella Steinbacher,o violoncelista Johannes Moser e o pianista Ricardo Castro que será regente e solista no mesmo concerto.

Com a realização de concertos na Cidade das Artes as séries têm novos palcos. No Theatro Municipal do Rio de Janeiro serão 12 concertos pelas Séries Ametista, Topázio e Turmalina. Já na Cidade das Artes as apresentações serão 14,sendo sete na Série Cidade das Artes e sete concertos de música de câmara. A Série Safira realizará os tradicionais quatro concertos na Sala São Paulo,na capital paulista.

O lançamento será nos dias 15 de março, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro,em um concerto fechado e 17 de março em sua nova sede, a Cidade das Artes, com uma apresentação aberta ao público, sob a regência do maestro titular Roberto Minczuk.

Para o diretor artístico da Fundação OSB, Pablo Castellar, “nesta temporada comemoramos o início de uma nova jornada e o caminho que trilhamos para chegarmos até aqui. Desta forma, com o objetivo de festejar a conquista de uma nova casa, de uma nova plateia e de um novo palco, fizemos uma seleção criteriosa dos principais músicos que se destacam no cenário clássico atual, tais como o oboísta Albrecht Mayer, da Filarmônica de Berlim e o violoncelista Johannes Moser, vencedor do Prêmio Tchaikovsky. Por outro lado, para celebrarmos nossa trajetória e o público fiel que há mais de setenta anos nos prestigia, selecionamos alguns ícones que marcaram a história da música nas últimas décadas tais como o maestro Lorin Maazel e o flautista Sir James Galway.”

Já para o maestro Roberto Minczuk, “reencontrar músicos como Angela Brown, Kevin Deas, Johannes Moser, Arabella Steinbacher nos concertos que vão acontecer no Theatro Municipal, Sala São Paulo e agora na nossa casa, a Cidade das Artes, torna esta temporada um marco na história da OSB e, para mim, é motivo de enorme alegria. Além destes  e de tantos outros artistas incríveis, obras inéditas no Brasil  nos acompanharão ao longo deste ano em que teremos, por exemplo, a  Sinfonia nº 1 de Rachmaninoff,  a grandiosa Sinfonia nº 3 de Bruckner, e atendendo a milhares de pedidos, apresentaremos mais uma vez as trilhas de cinema compostas por John Williams. A OSB chega em 2014 com conquistas vitais e segue adiante, pronta para novos desafios”.

A Orquestra Sinfônica Brasileira oferece ao seu público por meio das assinaturas de série prioridade na escolha dos assentos, descontos na aquisição de ingressos avulsos, facilidades de pagamento, participação de promoções e de eventos exclusivos, entre outros benefícios. Do dia 18 de março ao dia 6 de abril estará aberto o período de assinaturas para as séries Ametista, Topázio e Turmalina realizadas no Rio de Janeiro. E do dia 17 de abril ao dia 7 de maio para a série Safira, na Sala São Paulo, em SP. O processo é dividido em três fases: as duas primeiras são destinadas a quem já é assinante e a terceira fase, que vai do dia 31de março ao dia 6 de abril no Rio e do dia 2 ao dia 7 de maio em SP, é destinada a novos assinantes. Para saber mais sobre o processo de assinaturas acesse o site da OSB – www.osb.com.br.

A Orquestra Sinfônica Brasileira é o mais tradicional conjunto sinfônico do país. Roberto Minczuk é o maestro titular. Composta por 71 músicos tem por meta alcançar o número de 95 até 2016. Fundada em 1940, pelo maestro José Siqueira, a OSB foi a primeira a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. As missões institucionais contemplam a conquista de novos públicos para a música sinfônica, o incentivo a novos talentos e a divulgação de um repertório diversificado, objetivos alcançados em mais de quatro mil concertos realizados durante sete décadas de trajetória ininterrupta.

Tags: coluna, JB, maior, música, nobre, sol

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.