Jornal do Brasil

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

Sol Maior

Os dez melhores concertos de 2012

Maria Luiza Nobre

O Rio de Janeiro brilhou em 2012, recebendo e tendo no palco grandes artistas nacionais e internacionais. Muitos vieram ao país pela primeira vez, trazidos por empresários ou  mesmo por orquestras brasileiras, capitaneadas sempre pela iniciativa privada. Ainda bem que ela existe. Os eventos foram, em sua maioria, realizados no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro mas, infelizmente, não faziam parte da temporada da casa, que atuou sempre mais discreta alugando seu espaço. Os concertos com orquestras foram intensos e os de música de câmara de excelência. Vários festivais nacionais e internacionais, séries de todos os tipos, a prata da casa brilhando muito, o que é o mais importante. A temporada foi rica, com os melhores artistas internacionais da atualidade, digna de qualquer grande cidade do planeta, fazendo do Rio de Janeiro a eterna capital cultural do país.

LANG LANG - O pianista Lang Lang, uma das maiores personalidades artísticas da atualidade, visitou a cidade pela primeira vez e encantou o público, que lotou o Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Um recital verdadeiramente inesquecível, impressionando pela magistral leitura da Sonata em Si Bemol Maior de F.Schubert. Um grande pianista ,dono de  um carisma raramente visto, além de um ser humano que se preocupa com os cidadãos de seu pais, a China. Realização e produção da Dell’Arte.

RENÉE FLEMING – A soprano americana também veio ao Rio de Janeiro pela primeira vez, e ficou encantada, da mesma forma que deixou seus admiradores em estado de graça, pelo magnífico recital que realizou com o pianista Gerald Moore, no Theatro Municipal. É um mito e deixou a plateia, que lotava o local, em delírio pela beleza da sua técnica e por sua voz maravilhosa. Grande recital, um deslumbramento no palco do Rio.  Realização e produção da Dell’Arte.

OSESP – A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo visitou a cidade e brilhou, em sua turnê nacional, mostrando por que é considerada, sem dúvida, como a melhor orquestra sinfônica brasileira na atualidade. O público da cidade a recebeu de braços abertos, e o conjunto foi impecável em seu concerto, prometendo voltar em 2013 com sua estrela, a maestrina americana Marin Alsop.  Concerto memorável. Esperamos a volta do conjunto ao Rio de Janeiro mais vezes em 2013. Realização e produção da Osesp.

OSB e MARCELO LEHNINGER – A Orquestra Sinfônica Brasileira fez um concerto memorável, no Espaço Tom Jobim, sob a regência do talentosíssimo regente brasileiro Marcelo Lehninger, que na atualidade é o regente  assistente da Orquestra Sinfônica de Boston. Foi brilho puro com a exuberante leitura da Sinfonia nº 5 Opus 47 de D. Schostakovich, o que levou ao delírio o público que lotava o local. Jovem geração de maestros brasileiros em palcos célebres e internacionais. O maestro Lehninger é a estrela do momento, representando a novíssima geração de regentes, já com carreira internacional. Realização e produção da Orquestra Sinfônica Brasileira.

ORQUESTRA FILARMÔNICA DE MINAS GERAIS – Uma das maiores orquestras do país na atualidade, tem em seu regente o festejado maestro Fábio Mechetti, sua grande estrela, inegavelmente a segurança do conjunto. A apresentação da turnê nacional, no Rio de Janeiro, foi outra sensação da temporada pelo profissionalismo mostrado e pelo concerto impecável, onde o alto nível de seus músicos foi atentamente observado e aplaudido. Esperamos receber mais vezes o maestro Mechetti  e seus músicos, na cidade, em concertos de sucesso garantido. Realização e produção da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

ORQUESTRA SINFÔNICA NACIONAL DE WASHINGTON – O célebre conjunto se apresentou na cidade trazendo como regente o carismático Christoph Eschenbach. O concerto foi emocionante, o altíssimo nível de seus integrantes e a verdadeira noção do que é um conjunto sinfônico fizeram a diferença na temporada. São carismáticos, além de uma qualidade sonora maravilhosa, trabalho de vários anos. Sem dúvida alguma, o mais significativo concerto da temporada. Realização e produção do Mozarteum Brasileiro. 

ORQUESTRA PETROBRAS SINFÔNICA – O conjunto é um alto astral, além de se apresentar sempre com um sucesso esperado e garantido. Cada vez mais se supera e o concerto com o pianista Arnaldo Cohen, festejando seus 40 anos de carreira, com a regência do maestro Isaac Karabtchevsky, deixou seus muitos admirados com lágrimas nos olhos. Foi muito emocionante ver Arnaldo Cohen, com sua técnica perfeita, no palco sendo homenageado ao lado  de seu cúmplice musical, de várias décadas, o carismático maestro Karabtchevsky. Realização e produção da Orquestra Petrobras Sinfônica.

NELSON FREIRE – O pianista Nelson Freire transbordou emoção em seu recital solo, ratificando a crítica internacional, que o considera como um dos maiores pianistas do século XX. Sua interiorização assim como sua concentração foram suas cúmplices leais na Sonata de J.Brahms, levando ao  delírio o público presente ao Theatro Municipal naquele dia mágico. Sua capacidade artística é ilimitada, fascinante. Realização e produção da Dell’Arte.

NINO MACHAIDZE E A OSB ÓPERA & REPERTÓRIO - A orquestra convidou a soprano, uma das divas do canto lírico atual, para viver o papel título de A Filha do Repertório, de Donizetti. A grande sensação foi a temporada lírica da nova orquestra, assim como a própria OSB Ópera e Repertório, tendo Fernando Bicudo e Pablo Castellar no comando do conjunto, o que, aliás, é o segredo do sucesso. Presença fantástica, com uma voz poderosa, além da técnica que possui, Machaidze foi de extrema importância, tendo ao lado um elenco de cantores brasileiros que puderam dividir a cena com ela, altamente generosa. Uma diva mesmo.  Realização e produção da OSB Ópera e Repertório.

MARIA TUDOR E LAURO GOMES – Em forma de concerto, foi apresentada  a ópera Maria Tudor – Cenas Principais, de Carlos Gomes,  com direção geral do festejado Lauro Gomes, em comemoração dos 20 anos do Espaço Cultural da Finep, Financiadora de Estudos e Projetos. Foi uma prova de que quando se quer, se faz, com os recursos que existem. O resultado foi um primor, cenários muito bem acabados, ótima resolução para os figurinos,iluminação perfeita, além da prata da casa brilhando nas vozes da soprano Marina Considera, vivendo o papel principal, e da também soprano Magda Belloti, do tenor Ivan Jorgensen, do barítono Manuel Alvarez e das vozes do Coro, e da pianista Eliara Puggina. Foi um marco na temporada, produção esmerada muito bem cuidada, provando que em palcos pequenos também se brilha e muito. Realização e produção de Lauro Gomes e Helder Castro, pela Finep.

                                                            ***

O bravo da coluna a todos os músicos que se apresentaram na temporada de 2012, no Rio de Janeiro, nos diferentes palcos, todos eles com a importância desejada, porque pisar em qualquer palco é um ato de devoção, de amor e de respeito a  si  próprio e ao público. O bravo da coluna também aos empresários - especialmente a empresária Myrian Dauelsberg -, que trazem o que há de melhor no meio musical internacional para o Rio de Janeiro, assim como o nosso bravo ao Festival Internacional de Harpa que coloca a cidade, durante todo o mês de maio, como a capital internacional da harpa, na figura do empresário Sergio da Costa e Silva, da Série Música no Museu. A todos os maestros e regentes titulares das orquestras, assim como seus presidentes, os nossos aplausos, por acreditar e fazer com que a temporada aconteça, somente lembrando que a música brasileira deveria ser programa em todos os concertos das orquestras brasileiras, sobretudo as que têm seus patrocínios oriundos das leis de fomento tanto federais,estaduais e municipais, proporcionando, portanto, o aplauso constante, em todos os concertos, ao compositor brasileiro.

A coluna deseja um Ano Novo bem musical e com uma temporada em 2013 tão importante quanto a cidade merece.  Feliz 2013!

Tags: agenda, concerto, maria luiza nobre, musica classica, sol maior

Compartilhe: