Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

País - Sociedade Aberta

A nova força

Jornal do BrasilTarcisio Padilha Junior

Para Spinoza, não há liberdade para o bem ou o mal: “um ser é bom na medida em que ele é livre”.

O notável pensador diz que não se deve eliminar os vícios através de uma luta negativa contra eles, pois esta enreda mais no vício do que o elimina; mas combatê-los, sempre indiretamente, despertando um novo amor e uma nova força para todos os valores positivos, o cerne de toda a sua pedagogia. 

A nova força precisa se chocar contra algo; para o trabalho ser feito, deve haver algo que resista. Sem uma força contrária que lhe oponha resistência, o poder imita a inércia contra a qual luta, tornando-se uma expansão desimpedida e sem tensão, seguindo uma configuração do terreno, achatando-se em acúmulos estagnados e sem intenção: a recorrente imagem que fazemos de tantos déspotas inertes, em gordas almofadas nos seus domos de prazer, uma vez superadas todas as resistências.

É preciso muito poder para mudar um hábito. Daí também que mudanças rápidas sejam suspeitas, porque, a menos que o padrão de resistência tenha se alterado, a mudança não passa de caiação e papel de parede. Por baixo, as paredes de pedra permanecem presas à sua estase e assim querem permanecer.

Crer que o sistema previdenciário funciona melhor operando segundo padrão fixado é temerário. Em qualquer sistema - estado, empresa, família ou arranjos internos da psique humana -, talvez um vigoroso “não” sirva melhor ao bem do todo e aumente mais o seu poder do que um complacente “sim”.

* Engenheiro

Tags: aberta, artigo, jb, sociedade, tarcísio

Compartilhe: