Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

País - Sociedade Aberta

Inadmissível omissão

Jornal do BrasilCelso Franco

Vejo, não surpreso - face à violência que assumiu as ruas do Rio, que mantém a população recolhida às suas casas -, assaltos e assassinatos nas vias expressas de nossos túneis.

É inadmissível que, até hoje, os nossos túneis urbanos, que eu já chamei de “cavernas” face ao seu não acabamento, não possuam um sistema de controle, por câmeras, de seu tráfego, e uma cabine blindada no seu interior, com a presença de um policial observando nos monitores o que se passa, a fim de comunicar ao contingente de ação colocado nas saídas dos mesmos quaisquer infrações ou afins. Este dispositivo de controle de saída, equipado com dispositivo chamado vulgarmente pela Polícia Militar de “jacaré”, constituído de uma tábua com pregos capaz de furar todos os pneus de quem quiser ultrapassá-la. Cansamos, nas minhas gestões, de utilizar este método do “jacaré’ como proteção à desobediência dos motoristas que não respeitassem o bloqueio, quando pintávamos durante a madrugada faixas para pedestres. Nunca falhou.

De nada adianta a grande mídia noticiar a criticar os dolorosos fatos consumados, com perda de vidas, onde pontifica a impunidade dos criminosos. É necessária a mobilização de toda a sociedade correta que, felizmente, ainda é a maioria, no sentido de emocionar os responsáveis pela ordem pública a cumprir o seu dever para com o povo que, com seus impostos, lhes paga o sustento. 

Já não falo do controle da qualidade do ar quanto à presença do monóxido de carbono, que seria outra história. E não me venham contrariar ou criticar, classificando este controle de requinte. Já em 1958, na Holanda, quando lá residi, era comum até se interromper o tráfego a fim clarear o ar ambiente no magnífico túnel urbano sob o rio Mass, em Roterdam.

Não custa nada tentar o que, por experiência própria, aconselho.

Tags: aberta, celso, franco, sociedade, texto

Compartilhe: