Jornal do Brasil

Terça-feira, 30 de Setembro de 2014

País - Sociedade Aberta

Apartamentos de um dormitório: a nova tendência entre os imóveis

Germano Leardi Neto*

Se você tinha dúvidas que apartamentos de um dormitório são um ótimo investimento, precisa repensar isso. Só na cidade de São Paulo, de acordo com o Balanço do Mercado Imobiliário 2013 do Secovi-SP, foram vendidas 8.900 unidades de um dormitório, mais do que o dobro registrado no ano anterior.

E isso não está restrito só às vendas. Ao analisar os lançamentos, os imóveis com um quarto tiveram crescimento superior a 90% entre 2012 e 2013 em São Paulo. No ano passado, foram lançados mais de 9.200 imóveis desse tipo, representando 28% do total. A relação impressiona ainda mais quando olhamos que, entre 2004 e 2012, os apartamentos de um quarto não chegavam a 10% dos imóveis lançados.

São vários os motivos que ajudam a explicar essa tendência. Uma primeira explicação envolve o boom do mercado imobiliário no Brasil nas grandes capitais. Com a maior facilidade de acesso ao crédito imobiliário, tanto pelos bancos públicos quanto nos privados, os lançamentos aumentaram, assim como a procura dos clientes.

Isso significou, na prática, uma pressão pelo aumento do metro quadrado em toda a cidade. Como os lançamentos de um dormitório se concentram em bairros mais comerciais, que já possuem área mais valorizada, isso trouxe lucratividade maior para as construtoras. O preço médio do metro quadrado em São Paulo saltou de 7.200 reais em 2012 reais para 8.700 reais em 2013. Gostou desses nmeros? Saiba que, antes de investir, você precisa conhecer mais esse setor para minimizar o risco.

Há dois grandes tipos de públicos para os imóveis de um dormitório. Primeiro, jovens, normalmente estudantes, que estão buscando a sua primeira casa. Há, também, profissionais que migraram de outra cidade, mas não pretendem fincar raízes no lugar em que trabalham. Nos dois casos, essas pessoas procuram esse tipo de imóvel para ficar por um tempo determinado, normalmente em aluguel. Por isso, os imóveis ficam concentrados em regiões próximas de áreas comerciais ou de universidades. Há um terceiro perfil interessante para esse setor. Por ter valor menos elevado do que os imóveis de dois ou mais dormitórios, esse tipo de apartamento costuma ser comprado por quem começa a investir no setor imobiliário.

Vale lembrar que essa tendência de valorização de apartamentos de um dormitório também está ajudando outros tipos de imóveis pequenos. Na ponta mais econômica, estão as quitinetes (ou conjugados). Esse tipo de apartamento, com um único cômodo, integra cozinha, sala e quarto, além de um pequeno banheiro. Com, no máximo, 35 metros quadrados, as quitinetes são interessantes para quem quer gastar menos e ter garantias que a procura por aluguel será alta — desde que o imóvel esteja localizado em bairros centrais ou com muita procura.

Do outro lado, na ponta de custo maior, estão os lofts. Esse tipo de apartamentos possuem um dormitório apenas, mas são bem amplos e têm desenho moderno, aproveitando o espaço de maneira mais inteligente. Aqui, um único cômodo agrupa quarto, cozinha e sala, enquanto o banheiro fica separado. Eles são opção interessante para quem quer um público que não precisa de muito espaço, mas procura uma arquitetura diferenciada (e tem mais recursos financeiros).

A última opção nesse setor são os flats. Você provavelmente já sabe, mas não custa lembrar que esse tipo de apartamento faz a junção entre condomínio e hotelaria, oferecendo para os moradores serviços como lanchonetes, lavanderias e arrumadeiras. Quanto ao tamanho, variedade é o que não falta. Os mais tradicionais costumam ter 25 metros quadrados a 66 metros quadrados teis. Para os investidores, flats são uma ótima oportunidade de negócios, já que a lei do inquilino não entra dentro das negociações de um aluguel desse segmento. Portanto, os aluguéis costumam ser superiores aos residenciais.

E aí, já pensou em fazer um investimento desses? Opções não faltam.

* Germano Leardi Neto é especialista no setor imobiliário.

Tags: aberta, coluna, germano, leardi, Sociedade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.