Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

País - Sociedade Aberta

Que tal dividir as responsabilidades para ganhar mais? 

Alejandro De Gyves*

“Não sei o que seria dessa empresa se não fosse por mim”. Essa é a frase que muitos empresários têm em mente. Com certeza, se você fundou a empresa, sem você, ela não existiria, mas será que só o fundador é capaz de dar seguimento ao seu negócio? 

Em minha opinião, nenhum profissional é insubstituível, mas existe um velho ditado que me faz meditar diariamente: “O olho do dono é que engorda o porco”. Mas não se precisa dormir com o porco, não é mesmo? 

Este provérbio brasileiro tem uma parte de verdade. O proprietário do estabelecimento deve, melhor que ninguém, saber quais são os diferenciais, as maneiras adequadas para atingir o seu público alvo e, acima de tudo, conhecer as necessidades da empresa. As quais são informações fundamentais para o negócio ir para a frente. Mesmo diante disso, creio que o empresário não é insubstituível em seu negócio.Acho extremamente importante qualificar profissionais para gerenciar a sua empresa. Você não precisa abandonar o posto, apenas administrar de perto ou de longe. 

O primeiro passo é recrutar de forma eficiente os colaboradores da sua empresa. O processo de seleção é algo importante e requer tempo e dedicação. Precisa saber quais são os requisitos e o grau de relevância de cada um: confiança, conhecimento técnico, comprometimento, entre outros.

Depois de ter um time qualificado, o empresário pode estabelecer uma nova gerência, ou seja, pode contratar um novo profissional ou capacitar um colaborador que já atua na empresa para exercer essa função. Além de enxergar em um funcionário o perfil para gerenciar o seu estabelecimento, é preciso também ofertar cursos e treinamentos para que o candidato adquira a qualificação necessária para assumir a nova função. Em um restaurante, por exemplo, o gerente é responsável por diversos setores. 

Planejar, supervisionar, coordenar e controlar as atividades do restaurante serão suas principais tarefa. O gerente tem que estar apto a treinar os cozinheiros, recepcionistas e garçons, por isso precisa se identificar com todas as áreas. Controlar estoque, compras, atender fornecedores, promover ações que gerem lucros e, ainda, manter o bom convívio entre a equipe também estão em seu escopo de trabalho. Neste caso, o empresário terá que avaliar o candidato ao cargo de gerente em todos estes quesitos, estar disposto a orientá-lo e passar todas as informações para ele: contato dos fornecedores e funcionários, contas a pagar e a receber, horários de funcionamento, entre outros. Por isso, descreva em manuais todos os processos da empresa. Isso facilita na hora que um profissional sair, outro poderá assumir tranquilamente, pois terá facilidade em encontrar os dados que precisa. 

Neste cenário, vemos a importância em sistematizar e padronizar os processos da empresa. Com todos os arquivos em um sistema fica muito mais fácil organizar os dados e, assim, passá-los para qualquer pessoa que vá assumir a responsabilidade. Além de ser prático e seguro, o sistema permite que você gerencie de longe o seu negócio.

A partir daí, você pode dar mais atenção para outros fatores da sua vida, como família, saúde e lazer. Pense nisso: Você trabalha no seu negócio, ou seu negócio trabalha para você?  

*Alejandro De Gyves é diretor para América Latina da ActionCOACH – líder mundial em business coaching para pequenas e médias empresas e a primeira franquia de coaching no Brasil.

Tags: aberta, alejandro, coluna, gyves, Sociedade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.