Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

País - Sociedade Aberta

Quarentena neles!

Cláudio Magnavita*

Após a convocação, técnico e jogadores só deveriam participar de comerciais depois da Copa. OS MILHÕES QUE JÁ FATURARAM JUSTIFICA A FALTA DE VERGONHA: ENTRARAM EM CAMPO JÁ COM MILHÕES NO BOLSO. O voo fretado da Seleção Brasileira, operado pela GOL, decolou de Brasília para Rio e São Paulo trazendo um time "vitorioso" na Copa de 2014.

A bordo, o Luiz Felipe Scolari contabilizava o grande lucro que teve com a Copa. Foi o maior garoto propaganda dos últimos 12 meses. Faturou milhões em alguns meses. Anunciou toda a série de produtos... Agora, ao voltar para casa, retorna como milionário. Vários jogadores seguiram os seus passos...

Ou seja, como está fica fácil, porque quem vai cuidar do sucesso (ou não) do Brasil já entra na Copa com o jogo ganho, pelo menos para ele(s), com a conta bancária bem recheada. Ser treinador ou jogador da Seleção tem que voltar a ser atividade fim e não atividade meio. E REPRESENTAR O PAÍS EM UMA COPA NÃO PODE SER ATRELADO A UMA MISSÃO COMERCIAL. A liberação para participar de comerciais e vender o sonho de campeão só deveria ser permitido depois do apito final. Quem for convocado deve entrar automaticamente em um período de quarentena e deve viver do salário pago pela CBF e das suas rendas. 

Repito: quarenta neles. Já. Além dessa medida, deveríamos banir marcas comerciais da camisa da Seleção. Se ela representa realmente o país, não deveria exibir logomarca de patrocinador.

Sugiro um projeto de lei a ser aprovado em regime de urgência pelo Congresso Nacional enquanto “a chapa está quente”. 

* Cláudio Magnavita, jornalista, é secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro.

Tags: aberta, claudio, coluna, magnavita, Sociedade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.