Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

País - Sociedade Aberta

Todos os dias das mães

Luiz Carlos Amorim*

Hoje é o Dia das Mães, um dia para lembrarmos que devemos reverenciar a mulher mais importante da nossa vida todos os dias, qualquer dia, sempre. Precisamos, antes de qualquer coisa, estar presentes, dar-lhe carinho, manifestar nosso respeito, nosso reconhecimento e nosso amor. Não apenas nesta data específica,mas sempre. Nada é mais importante do que a companhia, a presença tanto quanto possível, não interessa a idade que os filhos tenham.

Mas é tradição, para nós, filhos, darmos uma lembrança a ela, no seu dia, além de manifestar o sentimento que ela inspira em cada um. É uma outra maneira de dizer que ela é importante para nós, é uma maneira de homenageá-la, de provar que pensamos nela.

Outro dia, dizia eu a uma amiga que minha vida é e sempre foi povoada por mulheres maravilhosas. E ela me disse que eu agradecesse a Deus por isso, o que é mais do que justo. Tive avós fantásticas, minha esposa, minhas filhas, minha mãe, mulheres fantásticas que talvez eu nem merecesse.

Minha mãe, claro, é quem esteve mais presente, pois me acompanha a vida inteira. Acho que no dia delas, quem ganha o presente, na verdade, somos nós, os filhos, por tê-las. O que somos, temos que reconhecer, devemos a elas, pois é com elas que passamos o maior tempo de nossas infâncias e adolescências, são elas que nos ensinaram o que devemos saber para enfrentar o mundo dos adultos.

Por tudo o que ela representa, deveríamos dar-lhe um grande, enorme presente. Mas, se não pudermos comprar nenhum presente – e isso pode acontecer com muitos filhos – que presente então lhe dar a não ser nosso respeito, todo carinho e amor e uma pequena flor, gigante como ela própria? Sim, uma flor – símbolo incontestável do sentimento maior que ela nos inspira, junto com o abraço forte e o beijo grande, repletos de carinho e emoção.

O meu presente precisa ser maior ainda, pois um dia antes do Dia das Mães, no dia 10 de maio, minha mãe completa 80 anos. Parabéns em dobro, festa em dobro, carinho em dobro, muito mais vida para ser comemorada.

Mãe – a vida se repartindo, coração se avolumando, amor se multiplicando… Todos os dias são seus, toda a vida lhe pertence; a natureza, perfeita é sua irmã gêmea. E nós te festejamos, hoje e todos os dias.

* Luiz Carlos Amorim, escritor, é editor e revisor. - luizcarlosamorim.blogspot.com.br

Tags: aberta, amorim, Carlos, coluna, Sociedade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.