Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

País - Sociedade Aberta

Como aproveitar melhor o período sabático

Lilian Simões*

Na tradição hebraica, a cada colheita a terra ganhava um “descanso” de algumas semanas para a recomposição dos seus recursos naturais. Esse período era denominado de sabático. E atualmente esse mesmo termo tem sido muito utilizado por aqueles que optam por um recolhimento em busca de autoconhecimento.

O período sabático tem sido adotado por muitas pessoas que querem fugir da rotina e da correria que a vida das grandes cidades implica. Há muitos que optam por viajar e conhecer outras culturas e formas de viver. Outras que se empenham em se conhecer melhor, praticando um hobby: como aprender a tocar um instrumento ou se dedicar a algum esporte. Entretanto, é preciso refletir antes de optar por essa pausa na carreira, já que ela exige um afastamento do trabalho e requer uma boa preparação financeira. 

Assim como nos outros países da América Latina, no Brasil a prática está se tornando conhecida. Uma pesquisa realizada pela consultoria Robert Half com 900 profissionais revelou que 73% das empresas não oferecem a oportunidade de afastamento para seus funcionários, até mesmo para aqueles de alto cargo. Pode parecer pouco, mas isso significa que ¼ das organizações já avaliam e permitem isso. 

Há muitas pessoas que tiram uma parte do período sabático para colocar os conhecimentos em dia. Sabe aquele curso que você sempre quis fazer, mas a correria não permite? Esse é o momento certo!

Costumo atender a muitos alunos que durante esse período aproveitam para estudar idiomas. Os motivos são os mais variados: desde preparação para viagens ao exterior até aperfeiçoamento do idioma para facilitar as atividades no trabalho. E acredito que esse empenho é muito positivo, porque, com mais tempo e dedicação aos estudos, o profissional cresce e o mercado agradece. 

Além disso, os estudos não precisam ficar apenas na sala de aula. A grande maioria das pessoas costuma viajar ao exterior para conhecer outras culturas, hábitos e formas de viver, com o objetivo de expandir os seus horizontes.

Durante a viagem, não deixe de visitar museus, pontos históricos, paisagens naturais e até mesmo conhecer a culinária local. Isso é enriquecedor.

Acredito que questionamentos sobre a vida e caminhos escolhidos são inerentes ao ser humano. Os grandes filósofos que o digam. O mercado tende a ver, cada vez mais, o saldo dessas experiências como positivas para o crescimento profissional. Saiba escolher o melhor momento para essa jornada. 

* Lilian Simões é diretora da Essential Idiomas, consultoria brasileira especializada em idiomas para executivos. 

Tags: aberta, Artigo, coluna, JB, Jornal, Sociedade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.