Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

País - Sociedade Aberta

O pessimismo

Tarcisio Padilha Junior*

Olhar e continuar olhando até que tenhamos visto exatamente o que temos diante de nós”, afirma C. S. Lewis, sobre observar um quadro. Em todos os exemplos que oferece, adverte ele que só com a verdadeira atenção o indivíduo ultrapassa a si mesmo, torna-se capaz de receber o outro e respeitá-lo. O conhecimento propriamente dito procede de um olhar atento e sistemático na direção adequada. A paciência em observar leva a importantes percepções e descobertas. Não apenas serve para perceber determinados aspectos da realidade física, como também é aplicável à dimensão moral da condição humana.

Ao olhar atento se revelam os valores das coisas e das ações, até o ponto de compreender que aquilo que é bom ou justo se impõe por si mesmo. A atenção nos conecta com o mundo, e essa conexão é a melhor vacina contra dogmatismos ou ideologias. À falta de conexão com o mundo, à falta de experiência das coisas e dos outros, tudo tende a ser irremediavelmente artificioso ou indiferente. O conhecimento que acompanha a indiferença é um conhecimento defeituoso, incompleto. Com a admiração - da qual deveria proceder - o conhecimento costuma ser respeitoso com a coisa em si. Por exemplo, para admirar a excelência de uma pessoa não é necessário ver nela excepcionalidades.

Caso se olhe atentamente algo, já se vê o que é preciso fazer. O esforço para ver claramente, para advertir as possibilidades de incidir em uma situação, é um esforço moral que tem, em contraposição, a visão distorcida ou o desinteresse com relação ao que acontece. Exemplo flagrante é a dramática situação dos refugiados (8 milhões, só na Europa), como adverte o papa Francisco.

Ao contrário do que tendemos a acreditar, não estamos acostumados a olhar o mundo real. Nosso ritmo de vida acelerado, as ocupações e sobretudo nosso autoconhecimento distanciam-no de nós. Somente o olhar atento capta a vulnerabilidade do outro e, assim, condiciona o tratamento adequado.

A complicação é uma característica bastante notória do nosso mundo. A complicação é como um desnecessário adicional de complexidade, um sintoma de processo insensato. Sobretudo, é preocupante como sintoma de um processo de progressiva degradação, que resulta em confusão. O pessimismo consiste no pressentimento de que a confusão não tem saída, de que o enredo é irreversível.

* Tarcisio Padilha Junior é engenheiro. 

Tags: a, bastante, característica, complicação, é uma, notória

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.