Jornal do Brasil

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

País - Sociedade Aberta

Um novo olhar sobre os morcegos

Mateus Henrique Amaral*

Infelizmente, a grande maioria das pessoas encara os morcegos como criaturas cruéis e monstruosas. É o resultado da pura ignorância humana e de uma mídia que comumente associa os morcegos a situações negativas, seja em filmes ou qualquer outro tipo de produção.

Os morcegos possuem uma dieta variada, não se alimentam apenas de sangue como muitos acreditam. Das mil espécies conhecidas, apenas três são hematófagas e o restante é frugívora, insetívora, nectarívora e carnívora. Portanto, os morcegos desempenham um importante papel ecológico como a dispersão de sementes, polinização e controle de insetos e roedores. Além disso, ocupam seu espaço na cadeia alimentar, e o seu desaparecimento pode causar um desequilíbrio cujas consequências são óbvias. Até mesmo para a ciência as espécies hematófagas têm sido benéficas, sua saliva possui uma substância anticoagulante, que tem sido estudada para obter novos fármacos e tratamentos de saúde.

Porém, é preciso cuidado para lidar com os morcegos e qualquer outro animal da fauna silvestre. Qualquer morcego pode estar infectado e transmitir o vírus da raiva através da sua saliva. Caso adentre em algum domicílio, deve ser retirado com o auxílio de algum objeto, ou até mesmo um profissional do centro de zoonoses do município deve ser acionado.

Todo animal é amparado por lei, se for morto ou torturado, o responsável pode pegar até dois anos de reclusão e multa. Os morcegos são apenas vítimas das ações antrópicas; tem perdido o seu habitat e buscado fonte de alimento e moradia nos centros urbanos. Matá-los não é e nunca será a melhor opção. É preciso mais educação ambiental para que as pessoas adquiram conhecimentos e valores que agiriam significativamente na conservação das espécies.

* Mateus Henrique Amaral, técnico ambiental, é estudante de biologia.

Tags: animal, é amparado, morto ou, o responsável, por lei, se for, torturado

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.