Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Maio de 2018 Fundado em 1891

País - Sociedade Aberta

Um exemplo a ser seguido

Jornal do Brasil

José Dirceu *, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Há uma série de razões relevantes para defender uma reforma política e eleitoral no Brasil, mas parece ser irrefutável que o sentido maior dessas alterações seja o de evoluirmos para um sistema em que ideias e programas de governo prevaleçam. Esse é o caminho para melhorarmos o nível do debate, não só eleitoral, mas também da agenda nacional.

Por mais de 30 anos, o PT tem defendido a importância de construirmos um país mais justo e desenvolvido, mas que chegue a esse patamar a partir do confronto e aperfeiçoamento das ideias. Nesse sentido, é fundamental o conhecimento do programa de governo de cada legenda.

A mais recente pesquisa realizada pelo Datafolha revela que a sociedade tem compreendido o papel que o PT desempenhou na formação, consolidação e aperfeiçoamento da democracia brasileira. Ademais, com o governo Lula, cresceu a percepção de como o PT governa, desta vez, em dimensões nacionais.

De acordo com o Datafolha, o PT é hoje o preferido de 25% dos eleitores. Há 20 anos, em 1990, o percentual era de 9%. O crescimento da identidade eleitor-PT, mesmo com todas as tentativas de macular a imagem do partido, deve-se à compreensão de que o PT tem obtido êxito em sua tarefa de melhorar o país. Não é à toa que um em cada quatro eleitores prefira o PT.

Os números atestam que a sociedade aprova e quer a continuidade do projeto de Brasil que está em curso. Isso é resultado direto do entendimento de que, com Lula presidente, o país foi colocado nos trilhos, a partir do planejamento e execução de um programa de desenvolvimento com crescimento econômico e social concomitantes.

Como historicamente o PT obtém votação próxima dos índices de sua preferência, a tendência é de que a maior bancada na Câmara dos Deputados seja petista. A estimativa é um total entre 100 e 110 deputados federais, a depender das coligações proporcionais.

A perspectiva é que os demais partidos da aliança em torno de Dilma Rousseff à Presidência da República também ampliem suas bancadas, havendo diminuição do espaço da oposição demo-tucana. É uma boa notícia, porque pode significar a formação de uma maioria mais coesa no Congresso Nacional, ou seja, mais agilidade no trabalho legislativo e na aprovação dos projetos importantes para o Brasil.

Essa é uma questão crucial nessas eleições: é importante o eleitor orientar seu voto levando em consideração que candidatos ao Senado e à Câmara são apoiados pelo candidato à Presidência. Isso pode significar maior afinidade entre o Congresso e a pessoa eleita para continuar o trabalho iniciado por Lula.

Pensando em facilitar a identificação, pelo eleitor, do candidato que tem afinidade com Lula e Dilma, o diretório paulista do PT decidiu que sua campanha na TV será centrada no voto para a legenda. A decisão é importante porque reforça o compromisso do partido com suas ideias e seu programa de governo. Significa clareza com o eleitor em relação às propostas para o país, ao contrário da oposição, que sequer apresentou seu programa e, ao que tudo indica, nem vai apresentar prefere uma campanha de ataques pessoais e ao PT.

Ao pedir o voto 13 na legenda, o PT mostra mais uma vez ao país que acredita no seu projeto de país e pede a todo cidadão que apoie as mudanças iniciadas no governo Lula. Por isso, é um exemplo que deve ser seguido pelo PT em todo o Brasil.

* ex-ministro chefe da Casa Civil



Compartilhe: