Jornal do Brasil

Domingo, 24 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Rio continua em estágio de atenção

Bloqueio nas estradas afeta serviços na cidade, como o transporte

Jornal do Brasil

A cidade do Rio de Janeiro permanece desde às 16h30 de sexta-feira em estágio de atenção. O Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR) informou, ontem, que a medida foi tomada por causa dos impactos dos bloqueios em rodovias de acesso ao município e, em consequência, seus efeitos no funcionamento dos serviços de infraestrutura urbana – em especial na área de transportes. 

Segundo o COR, com a manutenção da greve dos caminhoneiros, o desabastecimento de combustível “afeta drasticamente a mobilidade no município”. Em uma escala de três, o estágio de atenção está no segundo nível. Isso significa que um ou mais incidentes impactam, no mínimo, uma região, provocando reflexos relevantes na mobilidade. 

A Prefeitura do Rio recomendou que a população use os trens da SuperVia, o metrô e o VLT Carioca. O BRT deixou de funcionar na madrugada de sábado, mas os ônibus expressos voltaram a circular a partir das 17h de ontem. Inicialmente, houve retorno das linhas 11 (Santa Cruz x Alvorada Parador, Corredor Transoeste), 35 (Madureira x Alvorada Parador, Corredor Transcarioca), 50 (Centro Olímpico x Jardim Oceânico Parador, Corredor Transcarioca) e 51 (Vila Militar x Terminal Recreio Parador, Corredor Transcarioca).  

Caminhões-tanque que saíram escoltados da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) levaram combustível para parte da frota. Até o momento, segundo informa o BRT Carioca, 28 ônibus irão rodar inicialmente. A quantidade de veículos nas ruas cai conforme o combustível vai ficando mais escasso. 

Já a frota de ônibus regulares operava com apenas 23% da capacidade, menor nível desde o início da greve. A Rio Ônibus garante que tentará reabastecer coletivos com o combustível transportado pelos caminhões-tanque que deixaram a Reduc. Ainda de acordo com a Rio ônibus, “caso a situação não seja normalizada o mais brevemente possível, há risco de paralisação total do sistema”.

O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviário de Passageiros em Duque de Caxias e Magé (Setransduc) informou que 259 linhas de ônibus intermunicipais ficaram impedidos de rodar. 

Nos trens, os ramais de Deodoro, de Japeri, de Belford Roxo, e de Santa Cruz operaram normalmente. Com a manifestação dos caminhoneiros, não houve circulação, porém, nas extensões Guapimirim e Vila Inhomirim, operadas por locomotivas movidas a óleo diesel. No metrô, as linhas 1, 2 e 4 operaram normalmente. As linhas 1 e 2 do VLT Carioca também não apresentaram interrupção.

Aeroportos 

O Galeão operou sem quaisquer atrasos ou cancelamentos. A Concessionária garantiu que não está sendo afetada pela greve por ter seu fornecimento de combustível para aeronaves por meio de tubulações subterrâneas que vêm direto da refinaria. O Santos Dumont, como destaca a Plural associação nacional dos distribuidores de combustível, recebe abastecimento regular de combustível de aviação.

Barcas 

A concessionária CCR Barcas adotou medidas de contingência no serviço para minimizar o impacto no transporte aquaviário. O atendimento foi interrompido na linha Arariboia, desde sexta-feira. Nas linhas Charitas, Paquetá e Cocotá, somente algumas viagens foram canceladas. Segundo a concessionária, as medidas foram autorizadas pela Secretaria de Estado de Transportes e vão gerar redução de 8% no número de travessias realizadas diariamente.

Água e luz 

Na Cedae, companhia de saneamento do estado, o bloqueio de carretas causou  baixa no estoque dos produtos químicos para o tratamento da água, mas a companhia está em contato com os fornecedores e órgãos que podem atuar para ajudar a evitar atrasos e interrupção no fornecimento. A empresa se comprometeu a agir para que as atividades continuem, mas pediu que a população economize água até que seja restabelecida a normalidade na entrega dos produtos químicos necessários e fundamentais ao tratamento. A distribuidora de energia Light informou que restringiu o atendimento, com prioridade aos serviços considerados essenciais, como hospitais, delegacias, escolas e os emergenciais, que ponham em risco a segurança dos clientes.

Disque-denúncia 

O serviço do Disque-Denúncia Rio foi interrompido às 16h30 de sábado. Autoridades recomendam às pessoas que, em caso de emergência, liguem para o 190 da PM. 

Com Agência Brasil



Tags: brasil, caminhoneiros, crise, governo, greve, rio

Compartilhe: