Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Rio

Crivella determina recesso escolar e informa que frota de ônibus e BRT vai aumentar nesta segunda

Jornal do Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decidiu neste domingo, 27 de maio, que não haverá aula na rede pública municipal de ensino nesta segunda-feira, dia 28, em função da crise nacional de abastecimento, causada pela greve dos caminhoneiros no país. O recesso escolar se deve ao fato de que funcionários, professores e alunos poderão ter dificuldade para chegar às escolas. Crivella informou também que as empresas de ônibus conseguiram combustível para botar 40% da frota do sistema de ônibus convencionais e BRT nas ruas, a partir da manhã desta segunda. O prefeito garantiu que não faltam insumos nos hospitais municipais e que a coleta de lixo domiciliar e hospitalar seguirá sendo feita pela Comlurb, sem interrupção. O município segue em estágio de atenção desde 16h30 da última sexta-feira.

"Há uma decisão da Justiça para que os serviços públicos de transporte recebam combustível. As empresas decidiram que vão colocar à disposição da população 40% da frota nesta segunda-feira. Isso inclui ônibus e BRT. Esse percentual é um cálculo, por experiências passadas, das próprias empresas de que se colocarem mais do que isso pode não haver passageiro. Ontem, fizemos esforço grande para colocar BRT na rua, e a maioria andou vazio, porque as pessoas preferiram ficar em casa, segundo as empresas de ônibus. O que precisa é ter ônibus para que as pessoas vão e voltem do trabalho",disse Crivella.

"A questão das escolas é que amanhã teremos recesso. E à tarde faremos nova avaliação. Queremos e esperamos que na terça-feira as aulas voltem normalmente. Merenda para amanhã nós teríamos. O problema são professores e funcionários, que estão com dificuldade de chegar", acrescentou o prefeito, após comandar reunião no Centro de Operações Rio (COR) com o gabinete que montou para reduzir os impactos da crise nacional de abastecimento na cidade.

O gabinete de gerenciamento da crise, formado por várias secretarias e diversos órgãos municipais, terá reuniões diárias para fazer a avaliação dos acontecimentos e tomar decisões.

"Quero parabenizar a Comlurb pelo esforço que tem feito para manter a cidade limpa. Continua o serviço de limpeza urbana no Rio. Em várias cidades, parou. Mas aqui não parou nem vai parar – assegurou Crivella. – Na saúde, insumos estão garantidos. Ambulância e oxigênio não vão faltar. Temos tranquilidade para dizer a todos que nossos hospitais estão funcionando. Há uma certa deficiência de pessoal, o que é natural, mas as emergências diminuíram, com menos carros nas ruas e menos acidentes", destacou também.

O prefeito Marcelo Crivella em reunião com representantes de secretarias e diversos órgãos para discutir novas medidas de mitigação dos impactos nos serviços, provocados pela greve dos caminhoneiros

COLETA DE LIXO

A Comlurb conseguiu no sábado, na Justiça, a liminar que garante o abastecimento da frota e a circulação dos seus caminhões. Com isso, está conseguindo fazer a transferência dos resíduos para o CTR- Rio, em Seropédica, e manter a coleta domiciliar em dia.

ÔNIBUS E BRT

Presentes à reunião no COR, representantes da RioÔnibus e do BRT informaram que os dois sistemas juntos circularão nesta segunda com 40% de sua capacidade, e a expectativa é de que ao longo da semana esse percentual suba, na medida em que a situação vá se normalizando.

RECESSO ESCOLAR

Nesta segunda-feira não haverá aula. A questão principal é a preocupação com a chegada de alunos, professores e funcionários, em razão da dificuldade de transporte. A Secretaria de Educação fez uma adaptação do cardápio, para substituir os itens que não estão chegando, por causa da greve dos caminhoneiros. Com isso, haveria mantimento para toda esta semana, mas merendeiras, por exemplo, poderiam não conseguir chegar para preparar as refeições.

SAÚDE

Além dos hospitais e serviços de urgência e emergência, as unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) estão funcionando. Os cilindros de gases medicinais estão abastecidos e garantidos pelos próximos dias, assim como os tanques de boa parte das ambulâncias e veículos de serviços essenciais. Nos hospitais está sendo dada prioridade absoluta ao atendimento de urgência e emergência e que não podem ser interrompidos. A alimentação dos pacientes, acompanhantes e profissionais está mantida, tendo sido realizadas adaptações necessárias aos cardápios.

Os estoques de medicamentos e insumos são suficientes pelos próximos dias. Há, contudo, uma preocupação com o abastecimento de hemoderivados, uma vez que, com as dificuldades de locomoção na cidade, poucas pessoas têm comparecido ao Hemorio (principal banco de sangue da rede pública) para doação de sangue.

Quanto aos recursos humanos, tem sido observada nos últimos dias ausência em torno de 30% de profissionais nos hospitais, devido à dificuldade de condução para os locais de trabalho. A maior parte das faltas é de funcionários de nível médio.

ORDEM PÚBLICA

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), seguindo o Estágio de Atenção, atua por meio de seu gabinete de crise: a Guarda Municipal (GM-Rio), a Defesa Civil e o Centro de Operações Rio (COR), órgãos vinculados à Seop, funcionam seguindo os protocolos para situações emergenciais.

A GM-Rio adotou contingências administrativas e logísticas para manter as ações de ordenamento urbano, fiscalização de trânsito e o apoio à Comlurb na escolta dos caminhões. Outras medidas, implantadas desde quarta-feira, 23, permitem a operação da frota da Guarda – que usa o esquema de abastecimento montado pela Polícia Militar – para o patrulhamento da cidade, atendimentos emergenciais e apoio a eventos.

Somente neste domingo, a GM-Rio opera com 1.058 guardas e 268 veículos em diversas missões a cargo das 35 unidades operacionais. Já a Defesa Civil atua com 11 agentes, 24 horas, em regime de plantão para casos de emergências e atendimento de solicitações da população.

Com a cidade em Estágio de Atenção, as equipes operacionais seguem em prontidão para ações de contingência integradas pelo COR, que monitora em tempo real o funcionamento dos serviços básicos do município, como os de mobilidade e as unidades de saúde.



Tags: caminhoneiros, combustiveis, crise, greve, temer

Compartilhe: