Jornal do Brasil

Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Rio

Caminhoneiros permanecem em rodovias, mas não interrompem tráfego

Jornal do Brasil

Caminhoneiros ainda se concentram em trechos de rodovias federais no estado do Rio, mas segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), não há interrupção do trânsito. Na BR 101–norte, nos quilômetros (kms) 70 e 75, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, os manifestantes estão no acostamento, nos dois sentidos da rodovia.

O mesmo ocorre no km 391 da BR 101–sul, no Rio de Janeiro, onde embora os caminhoneiros estejam nos dois sentidos do acostamento, o fluxo de veículos de passeio está normal.

Nos kms 204 e 206 da Rodovia Presidente Dutra, em Seropédica, onde nos últimos dias havia a maior concentração de grevistas no estado, a presença dos manifestantes nos dois sentidos do acostamento também não interfere no tráfego de veículos e ônibus.

Não há problemas também nos kms 268/269 e 276/274, em Barra Mansa. Lá, os manifestantes estão com os caminhões estacionados em postos de gasolina, no sentido São Paulo, e o trânsito flui normalmente.

A PRF informou que os motoristas também não encontram dificuldades na BR-101, a Niteroi/Manilha. Na rodovia, a concentração de grevistas é no trecho que vai do km 293 ao 297, em Itaboraí. Os manifestantes estão nos dois sentidos do acostamento.

Outro ponto de concentração no estado é no km 182 da BR-393, em Paraíba do Sul, onde veículos de carga estão estacionados em postos de gasolina. Na mesma rodovia, em Volta Redonda, no km 281, os caminhoneiros também permanecem no posto de combustível e o trânsito não apresenta interrupções.

Há presença de grevistas na BR-465, nos kms 14 e 31. Na BR-040, no km 113, em Duque de Caxias, os caminhoneiros permanecem no acostamento e em uma faixa da rodovia, no sentido Juiz de Fora. No km 61, em Petrópolis, também em direção a Juiz de Fora, os manifestantes estão reunidos no posto de combustível.

Há concentração de manifestantes ainda na BR-116 norte, a Rio/Teresópolis, nos kms 54 e 76, mas os motoristas não enfrentam dificuldades para passar na estrada.

Agência Brasil


Tags: caminhoneiros, crise, forças armadas, greve, temer

Compartilhe: