Jornal do Brasil

Domingo, 24 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Justiça do Rio bloqueia R$ 7 milhões em bens de Jorge Picciani e suas empresas

Jornal do Brasil

O presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (MDB), teve bloqueados bens pessoais e de duas de suas empresas em cerca de R$ 7 milhões. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (8) pela juíza Ana Cecília Argueso Gomes de Almeida, da 6ª Vara de Fazenda Pública da Capital.

Ela determinou o bloqueio de R$ 4,03 milhões dos bens de Picciani. Também foram bloqueados os bens de Felipe Carneiro Monteiro Picciani, filho dele, no valor de R$ 2,28 milhões, André Gustavo Monteiro, sócio nas empresas, de R$ 780 mil, e das empresas Agrobilara Comércio e Participações, em R$ 2,1 milhões, e Agrocopa, R$ 1,2 milhão.

A ação civil pública foi ajuizada pelo Ministério Público (MP) e as informações foram divulgadas em nota pelo Tribunal de Justiça. Os réus respondem por ato de improbidade administrativa. A juíza destacou em sua decisão os motivos do bloqueio de bens.

Justiça do Rio bloqueia R$ 7 milhões em bens de Jorge Picciani e suas empresas

“De acordo com tais dispositivos, havendo fortes indícios da prática de atos de improbidade administrativa que causem danos ao Erário, é cabível a indisponibilidade cautelar dos bens dos requeridos, com o escopo de assegurar o resultado útil ao processo”, assinalou a magistrada.

Segundo ela, os réus ocultaram bens e verbas a preços subfaturados na compra e venda de gado, entre 2014 e 2015, usando as empresas Agrobilara e Agrocopa, com a participação do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Jonas Lopes de Carvalho Júnior.

“Assim, havendo indícios da prática de atos contra a Administração Pública e de improbidade administrativa por parte dos envolvidos e evidenciado o prejuízo à Administração, impõe-se a medida necessária para assegurar a futura reparação do dano”, decidiu a juíza.

A defesa de Picciani foi procurada, mas ainda não se posicionou sobre a decisão judicial.

Agência Brasil


Tags: alerj, bens, bloqueio, picciani, prisão

Compartilhe: