Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Chuvas voltam a causar alagamentos e queda de árvores no Rio

Jornal do Brasil

As fortes chuvas que caíram na noite de ontem (21) e madrugada desta quinta-feira (22) no Rio de Janeiro voltaram a deixar bairros sem luz e provocaram vários pontos de alagamento. Quedas de árvores também foram registradas. Sirenes de alerta de deslizamento foram acionadas em seis comunidades.

Segundo o Centro de Operações da prefeitura, sirenes foram acionadas nas comunidades da Babilônia, de Chapéu Mangueira, Cabritos e na Ladeira dos Tabajaras (essas quatro em Copacacabana), em Santa Marta (em Botafogo) e no Sítio Pai João (no Itanhangá), por volta das 22h30. Até agora, no entanto, a prefeitura não informou se houve deslizamentos e feridos.

Bolsões d'água e alagamentos foram registrados em vias importantes da cidade, como as avenidas Borges de Medeiros e Epitácio Pessoa (na Lagoa), Presidente Vargas (no centro), Lagoa-Barra, Ayrton Senna (na Barra) e Brasil.

Foram registradas quedas de árvore em ruas de Copacabana e da Taquara. O Rio está em estágio de atenção, o nível intermediário na escala de três estágios da Defesa Civil.

Bairros do Rio ainda estão sem luz após tempestade da semana passada

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DPRJ) se reuniu pelo segundo dia consecutivo com a diretoria da Light, concessionária que fornece energia elétrica para a cidade do Rio de Janeiro e mais 30 municípios do estado, para solucionar o problema de clientes que ficaram sem o serviço após o temporal da madrugada da quinta-feira passada (15). Os encontros ocorreram depois de o Nudecon receber reclamações de consumidores que ainda não tiveram o serviço restabelecido nos bairros da Ilha do Governador e Penha, na zona norte do Rio; e de Jacarepaguá, na zona oeste da cidade. O temporal provocou pelo menos quatro mortes na cidade.

Na reunião, integrantes do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria deram o prazo de um dia para o retorno da energia nas casas e estabelecimentos comerciais atingidos pela chuva forte. O encontro de quarta-feira (21) era para a companhia apresentar um balanço do que foi realizado. 

A defensora considerou que a Light atendeu aos consumidores, mas ponderou que já encaminhou notas às regionais da Defensoria com orientação para que, se novas reclamações sobre o assunto forem feitas, verificar se há referência a pedidos anteriores que não foram atendidos. Caso se comprove a falta de atendimento a pedidos feitos anteriormente, Patrícia Cardoso chamará a empresa outra vez para esclarecimentos. “Se efetivamente algo não está correspondendo com toda essa análise que a gente fez e que foi demonstrado hoje, de que as coisas voltaram a normalidade, a gente precisa saber”, revelou, pedindo aos consumidores ainda não atendidos que apresentem nova reclamação a Defensoria.

Com Agência Brasil



Tags: alagamento, chuva, estrago, rio, temporal

Compartilhe: