Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

"Fica claro o que vai acontecer", diz presidente de sindicato após fala contra Comissão da Verdade

General Villas Bôas defendeu garantia a militares contra "nova comissão" durante intervenção no Rio

Jornal do Brasil

O presidente do Sindicato dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro, Alvaro Quintão, criticou nesta terça-feira (20) as declarações do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que afirmou que seria necessário dar aos militares "garantia para agir sem o risco de surgir uma nova Comissão da Verdade" no futuro. A declaração foi dada no contexto da intervenção federal, sob comando militar, na área de segurança do Rio de Janeiro.

"Fica claro o que vai acontecer. O Exército não tem estrutura para investigar, tem estrutura para guerrear, e foram colocados nessa postura humilhante de servir aos interesses eleitorais de [Michel] Temer, que sabe que as Forças Armadas gozam de prestígio junto à população e só esse prestígio poderia substituir seu fracasso na aprovação da Reforma da Previdência. Estão tentando, com a não punição em caso de um “erro de percurso”, não serem punidos se ocorrer um 'Deus nos acuda' de violência contra a população mais pobre", afirmou Quintão. 

General Villas Bôas defendeu a garantia a militares contra "nova Comissão da Verdade" em função das operações no Rio durante a intervenção federal

O presidente do Sindicato dos Advogados questionou ainda a necessidade da intervenção. "Inventam uma urgência onde antes estava havendo um carnaval, uma das maiores festas do mundo. É claro que a situação é grave no Rio de Janeiro, mas por que agora? Por que no Rio se a cidade não está nem mesmo entre as trinta mais violentas do país? Alguém poderia dizer 'pelo turismo', mas depois do carnaval? Depois das olimpíadas? Faz pouco sentido."

O general Villas Bôas deu a declaração durante a reunião com o Conselho da República, na manhã de segunda-feira (19). A Comissão da Verdade  foi criada durante o governo de Dilma Rousseff com o objetivo de investigar casos de tortura e mortes durante a ditadura militar.

Villas Bôas, ao fazer o comentário, estaria se referindo ao risco de a intervenção provocar confrontos com mortes no Rio. 



Tags: comissão, general, intervenção, rio, verdade

Compartilhe: