Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Rio

Sérgio Côrtes deixa a prisão após decisão do ministro Gilmar Mendes

Ex-secretário de Sérgio Cabral ganhou liberdade por determinação do STF

Jornal do Brasil

Na tarde desta quinta-feira (8), o ex-secretário de Saúde do governo Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes, deixou a prisão, após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Côrtes estava preso na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, desde abril do ano passado.

Manifestantes que estavam em frente à cadeia protestaram quando Côrtes saiu e se encaminhou a um carro que o aguardava.

Sérgio Côrtes deixa a prisão após decisão do ministro Gilmar Mendes

Côrtes foi preso durante a Operação Fatura Exposta, desdobramento da Lava Jato no Rio que investigou fraudes em licitações de próteses para o Instituto Nacional de Traumatologia (Into). Os investigadores afirmam que, entre 2006 e 2017, os desvios chegaram a R$ 300 milhões. Côrtes é um dos que aparecem nas famosas fotos da "farra dos guardanapos", quando o então governador Sérgio Cabral ofereceu um jantar num restaurante de luxo, em Paris, para secretários e empresários.

>> “Farra dos Guardanapos” teria sido comemoração da escolha do Rio como sede olímpica

Sérgio Côrtes aparece nas famosas fotos da "farra dos guardanapos", em Paris

Em sua decisão, o ministro Gilmar Mendes determinou que a prisão preventiva seja substituída por outras medidas cautelares, como a proibição de Côrtes fazer contato, por qualquer meio, com outros investigados na chamada Operação Fatura Exposta– um desdobramento das operações Calicute, que resultou na prisão de Sérgio Cabral, em 2016, e Eficiência, que determinou a prisão do empresário Eike Batista, em 2017.

O ex-secretário de Saúde também ficará proibido de deixar o Brasil, devendo entregar seu passaporte em até 48 horas a partir da notificação. Além disso, Côrtes não poderá deixar sua residência durante a noite e nos fins de semana.

Na sentença, Mendes afirma que os fundamentos que levaram à decretação da prisão preventiva há quase um ano “se revelam inidôneos para manter a segregação cautelar. O magistrado compara a situação de Côrtes a dos empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita, presos na mesma Operação Fatura Exposta. Mendes já havia substituído as prisões preventivas de Iskin e Estellita por medidas cautelares, determinando que os dois fossem soltos.

Côrtes quer continuar a atender os detentos

Em nota, a defesa de Sérgio Côrtes afirmou que solicitou à Justiça Federal do Rio de Janeiro, independentemente da decisão anunciada nesta quinta-feira, autorização para que Côrtes continue prestando atendimento médico aos detentos do presídio de Benfica, como vinha fazendo durante o período de detenção, por entender que a suspensão deste trabalho traria prejuízos aos internos da unidade.

>> "Nossas putarias têm que continuar", escreveu Sérgio Côrtes a empresário



Tags: cabral, côrtes, ex-secretário, liberdade, saúde, stf

Compartilhe: