Jornal do Brasil

Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Rio

Bloco do Rio consegue 100 doadores em desfile que estimulou doação de sangue

Jornal do Brasil

Pelo quarto ano consecutivo, o bloco Vem Doar pra Mim ocupou ruas do centro do Rio de Janeiro para conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue no período carnavalesco. De acordo com o Instituto Arcádia, que organiza o desfile, o volume médio de doadores voluntários nos dias da folia costuma sofrer uma queda acentuada.

Os foliões se reuniram às 9h na Candelária, de onde seguiram para a sede do Hemorio, na Rua Frei Caneca. Ali, cerca de 100 participantes fizeram doação.

“Os bancos de sangue do Rio de Janeiro costumam ter uma queda de 50% em seus estoques durante o carnaval. E o nosso bloco é uma coisa inusitada, que mistura o que o carioca tem de melhor: o samba e a solidariedade”, diz Alexandre Sapucaia, coordenador de Sustentabilidade do Instituto Arcádia.

A militar Raquel Posada participou do desfile acompanhando sua cunhada, que trabalha no Instituto Arcádia. Ela acabou doando sangue pela primeira vez. “Eu sempre quis doar, mas nunca tive oportunidade. Uma vez até tive, mas tinha acabado de fazer uma tatuagem, o que é um impeditivo. Então, agora estou aproveitando o embalo do carnaval para fazer essa boa ação”, disse.

A mesma experiência havia vivenciado o folião Alan Vieira em uma edição anterior do bloco. Neste ano, ele novamente marcou presença. “Eu lembro que, no final, quando vi várias pessoas doando, eu me senti estimulado a ir também”. O cortejo deste ano foi acompanhado ainda pela bateria da escola de samba Porto da Pedra e também por passistas da agremiação.

Criado em 2009, o Instituto Arcádia desenvolve ações para promover o acesso à arte, à cultura, ao esporte, à qualidade de vida, à conscientização sobre a preservação do meio ambiente, à educação inclusiva, à profissionalização e a tantas outras coisas.

Para doar

De acordo com o Hemorio, foliões que quiserem doar sangue devem estar sem consumir álcool há pelo menos 12 horas. Além disso, é preciso estar munido de documento de identidade, ter mais de 16 e menos de 70 anos, pesar no mínimo 50 quilos e não estar em jejum. Alimentos gordurosos devem ser evitados 3 horas antes da doação.

Há algumas situações que podem deixar o doador inapto, tais como estar resfriado e ter feito cirurgia ou extração dentária recente. Algumas vacinas também podem gerar impedimento, assim com o uso de determinados medicamentos.

Quem fizer tatuagem ou colocar piercing precisa esperar um ano para doar sangue. Estas e outras informações são apuradas em entrevista realizada na fase de triagem, onde um médico irá avaliar a aptidão ou não do doador.

Os interessados devem comparecer ao Hemorio portando documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais. O modelo da autorização está disponível no site do Hemorio.

Agência Brasil


Tags: campanha, carnaval, doação de sangue, hemorio, rio de janeiro

Compartilhe: