Jornal do Brasil

Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Rio

Causa da morte dos macacos no Alto da Boa Vista ainda não foi divulgado

Dúvida é se houve envenenamento ou contágio por febre amarela

Jornal do Brasil

Passados nove dias, a análise da causa da morte de quatro macacos, encontrados no dia 15 de janeiro no Rio de Janeiro, permanece desconhecida para a população. Os macacos foram encontrados na Rua Alves Câmara, entre o Alto da Boa Vista e a Usina, próximo à Floresta da Tijuca, no Rio, e encaminhados para análise. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou ao JB, na segunda-feira (22), que os resultados já estavam prontos e haviam sido encaminhados às secretarias municipais e estaduais de Saúde na sexta-feira anterior (19). Contudo, nenhum dos dois órgãos os divulgou até o momento. A dúvida é se os macacos morreram de febre amarela ou envenenados.

O JB entrou em contato com a Secretaria municipal de Saúde, que negou que tenha recebido os resultados. Já a Secretaria estadual de Saúde informou que divulga apenas os casos positivos, e que caso haja alguma novidade, será anunciado no boletim da tarde desta terça-feira (23).

De acordo com a Prefeitura do Rio, a primeira análise feita nos corpos de macacos apontaria para indícios de envenenamento. 

Fiocruz fez a análise em quatro macacos encontrados mortos no Alto da Boa Vista
Fiocruz fez a análise em quatro macacos encontrados mortos no Alto da Boa Vista

Tags: amarela, febre, macaco, morte, tijuca, víus

Compartilhe: