Jornal do Brasil

Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Rio

No início da tarde, tiros voltam a ser ouvidos na Rocinha

Operações deste sábado (23) prenderam 5 homens e apreenderam 12 granadas e 16 fuzis

Jornal do Brasil

No início da tarde deste sábado (23) tiros voltaram a ser ouvidos na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Desde a última sexta-feira (22), quase mil oficiais das Forças Armadas foram enviados para a comunidade para auxiliar a Polícia Militar a conter uma guerra entre traficantes rivais.

A troca de tiros deste sábado teve início enquanto as autoridades de segurança concediam entrevista coletiva no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), para anunciar o balanço das operações iniciadas no dia anterior. Desde a noite de sexta-feira (22), as operações resultaram na prisão de cinco traficantes, e na apreensão de 12 granadas e 16 fuzis.

Os representantes da segurança pediram ajuda à população da Rocinha para encontrar os criminosos, e afirmaram que as ações na comunidade vão continuar por tempo indeterminado.

"A comunidade é que detém essa oportunidade de contribuir para que esse trabalho se perpetue no tempo. Eles [os moradores] são as pessoas que podem nos ajudar a limpar por um longo tempo a comunidade", disse o comandante da 1ª Divisão de Exército, general Mauro Sinott.

Apesar de a população da Rocinha ter reclamado da maneira com que os oficiais estão fazendo abordagens aos moradores, inclusive relatando casos de agressões verbais e físicas, o secretário de Segurança do estado informou que está sendo elaborado pela polícia um pedido para revistar as casas de moradores da favela. O documento será entregue ao Poder Judiciário.

Tags: armadas, confronto, exercito, forças, operações, polícia, rio, rocinha, tiros, violencia

Compartilhe: