Jornal do Brasil

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

Rio

Justiça mantém condenação de churrascaria por escrever "negro" em comanda

Jornal do Brasil

Os desembargadores da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) mantiveram a decisão em 1ª instância e condenaram os proprietários da Churrascaria Norte Grill, da filial localizada em Pilares, Zona Norte do Rio, ao pagamento de R$ 10 mil de indenização por danos morais ao cliente Roberto Lima. Em março de 2013, no momento de pagar a conta, Roberto percebeu que sua comanda estava identificada pela palavra "negro". Ao questionar a razão, o garçom explicou que era para diferenciar o cliente dos demais.

A Norte Grill havia sido condenada na ação movida por Roberto Lima na 2ª Vara Cível da Comarca Regional de Madureira. O cliente frisou que não havia nenhuma outra comanda com qualquer escrito que fosse e que o garçom que o atendeu confessou ter sido o autor do ato, durante depoimento na delegacia, com a finalidade de diferencia-lo dos demais clientes.

Em seu voto, o desembargador relator Alcides da Fonseca Neto classificou como ato de preconceito o sistema de identificação adotado pelo funcionário da churrascaria.

“Ora, não se trata de uma forma de identificação de clientes, mas de verdadeiro ato preconceituoso, haja vista que, para “identificar”, o escrito acaba por, na realidade, discriminar essas pessoas, seja pela sua cor, pela sua nacionalidade ou pelas suas características físicas. Se o objetivo fosse, de fato, diferenciar os clientes, por que não escrever então “branco”, “brasileiro”, etc. para todos os demais?”, questionou. 

Tags: cliente, comanda, negro, preconceito, racismo

Compartilhe: