Jornal do Brasil

Quinta-feira, 21 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Diretora da H.Stern levava joias pagas em dinheiro à casa de Sérgio Cabral 

Algumas chegavam a custar R$ 100 mil

Jornal do Brasil

Em depoimento à Polícia Federal, a diretora comercial da H.Stern, Maria Luiza Trotta, afirmou que levava na residência do ex-governador Sérgio Cabral joias, anéis e pedras preciosas a serem escolhidos por ele e sua mulher, Adriana Ancelmo. Maria LuizaTrotta destacou que os pagamentos era feitos em dinheiro vivo. 

A diretora comercial da H.Stern afirmou que "chegou a vender joias no valor de até R$ 100 mil a Sérgio Cabral, tais como anéis de brilhante ou outros tipos de pedras preciosas, sendo o pagamento ainda que em tais quantias realizado em dinheiro".

Sérgio Cabral está preso em Bangu 8

Ela acrescentou que o dinheiro em espécie era levado a uma loja da joalheria, em Ipanema, na zona sul do Rio, por Carlos Miranda - apontado pela Operação Calicute, como operador.

A Polícia Federal avalia o valor das joias apreendidas na Operação Calicute e se elas foram compradas para lavar dinheiro roubado. São cerca de 300 peças de marcas internacionais de ouro, brilhante e pérolas. Quarenta foram apreendidas no apartamento de Sérgio Cabral e da mulher dele, Adriana Ancelmo. As outras foram encontradas com os outros integrantes do grupo de investigados.

>> Piloto afirma que iate apreendido era usado por Cabral

>> Cabral: Procuradoria suspeita de vazamento

>> Processo que apura uso de helicóptero oficial por Cabral é reaberto pela Justiça

>> Comperj: Petrobras vai investigar denúncia de propina a Cabral

>> à PF, Cabral afirma estar indignado e que tem a "consciência tranquila"



Tags: cabral, governador, jato, joias, lava, prisão

Compartilhe: