Jornal do Brasil

Domingo, 30 de Abril de 2017

Rio

Câmara Municipal rejeita salário vitalício para vereadores concursados do Rio

Parlamentares teriam direito a salário de R$ 15 mil, além de vencimento de servidor

Jornal do Brasil

A Câmara Municipal do Rio rejeitou, nesta terça-feira (1º), por unanimidade o projeto de lei que daria direito aos vereadores concursados de acumularem o salário de parlamentar e o de servidor público. O projeto foi apreciado e rejeitado pelos 40 vereadores que estavam presentes na Casa. O texto, agora, será arquivado.

"Demos um exemplo. Matamos esse projeto que causaria prejuízo à Prefeitura do Rio e à cidade", disse o vereador Leonel Brizola Neto (PSOL). 

Mais cedo, em entrevista ao Jornal do Brasil, o autor do projeto, vereador João Cabral (PMDB), chegou a afirmar que o projeto não voltaria mais à pauta, depois de ter a votação adiada na última quinta-feira (27) por falta de quórum.

"Eu tenho certeza que não volta mais (à pauta). Os demais vereadores (que apoiaram o PL) pediram para tirar", disse Cabral, creditando à imprensa a forma como a população reagiu à proposta nas redes sociais: "A população vê da maneira como foi colocada. Até eu, quando li 'pensão vitalícia', achei muito negativo".

Previsão era que Câmara Municipal votasse Projeto de Lei nesta terça (1º), em regime de urgência
Previsão era que Câmara Municipal votasse Projeto de Lei nesta terça (1º), em regime de urgência

Pela proposta, que, segundo Cabral, englobaria apenas cinco vereadores da Casa, o parlamentar que é concursado acumularia à sua aposentadoria de servidor um salário vitalício de R$ 15 mil, que equivale ao vencimento de um secretário da prefeitura. O salário de um vereador no Rio é de R$ 18 mil.

Na justificativa, o vereador João Cabral disse que é “uma questão de justiça, de igualdade”. Ele não foi reeleito nas últimas eleições para um próximo mandato. Na justificativa da proposta para o JB, Cabral registra que "a igualdade entre todos os funcionários tem que ser efetiva, inclusive sob o aspecto financeiro, fazendo justiça aos funcionários que por dedicação e competência conseguem por desejo da população, serem eleitos vereadores da Cidade do Rio de Janeiro".

Constam como autores também Chiquinho Brazão, Dr.João Ricardo, Dr.Jorge Manaia, Jimmy Pereira, Jorge Braz, Laura Carneiro, Prof.Uoston e Rosa Fernandes.

Tags: câmara, orojeto, Rio, Salário, vereadores

Compartilhe: