Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Rio

O inferno de paz

Jornal do Brasil

O Rio de Janeiro, que já foi a cidade da paz, onde todos tinham qualidade de vida e tranquilidade, hoje vive uma realidade bem diferente. Além de constantes assaltos, cidadãos enfrentam diariamente trânsitos quilométricos e infernais, nos quais motoristas de táxis de preços fixos sofrem não apenas com prejuízo à sua saúde, mas também ao seu bolso, devido ao alto consumo de combustível.

Nesta segunda-feira (1), mais uma vez as ruas da cidade registravam tráfego pesado, o que se transformou numa triste rotina para o carioca.

>> Você enfrenta engarrafamento diariamente? Envie sua foto para o 'Jornal do Brasil'

E a categoria dos taxistas ainda foi obrigada, pela prefeitura do Rio e o então secretário de Transporte, Carlos Roberto Osório, a pintar seus veículos de preto quando de cooperativas, fazendo com que se confundissem com táxis especiais de porta de hotel - que cobram preços exorbitantes mas que o turista paga, por não saber distinguir a diferença -, e tendo recebido inclusive placas vermelha como se fossem pagadores de todos os impostos que táxis normais têm de pagar. 

Como se não bastasse, ainda há o sofrimento dos passageiros de transporte público, que num percurso que anteriormente era percorrido em 15 minutos, hoje gastam uma hora e meia. E quando fazem o trajeto para casa - antigamente percorrido em uma hora e meia -, hoje consome três horas de suas vidas. 

O inferno de paz.

Tags: congestionamento, mudanças, Rio, Trânsito, vias

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.