Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

Rio

Justiça do Rio decide que manifestantes vão responder a processo em liberdade

Jornal do Brasil

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decidiu, nesta terça-feira, que os 21 manifestantes suspeitos da prática de atos violentos em protestos vão responder às acusações em liberdade. 

A decisão foi tomada pelos desembargadores Siro Darlan, Márcia Bodart e Maria Angélica Guedes, da 7ª Câmara Criminal.

O julgamento do habeas corpus concedido aos ativistas pelo desembargador Siro Darlan, no último dia 23, foi solicitado em recurso pelo procurador Riscalla Abdenur, do Ministério Público estadual.

No recurso enviado ao TJ no dia 29 de julho, o procurador pedia a Siro Darlan para reconsiderar a decisão que garantiu a libertação dos ativistas. Riscalla Abdenur ressaltou, ainda, a gravidade das provas reunidas contra os ativistas na investigação da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI).

Na decisão em que concedeu o habeas corpus aos ativistas, Siro Darlan afirmou que os acusados poderiam responder em liberdade ao processo e determinou que todos entregassem seus passaportes. Na ocasião, 18 dos 23 manifestantes acusados de praticar atos violentos durante protestos eram considerados foragidos da Justiça.

No dia 24 de julho, os ativistas Igor D'Icarahy, Camila Jourdan e Elisa Quadros, a Sininho, foram libertados do Complexo de Bangu.

Tags: Atos, protestos, Rio, ruas, vandalismo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.