Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Rio

Moradores de Jacarepaguá criticam obras da Prefeitura no Rio Tindiba

Jornal do BrasilLouise Rodrigues*

A demora da Prefeitura em finalizar obras de macrodrenagem do Rio Tindiba, em Jacarepaguá, está esgotando a paciência de moradores das regiões da Taquara, Tanque, Praça Seca, Freguesia e Pechincha. Embora algumas intervenções já tenham sido feitas, presidentes das associações de moradores relatam que determinadas ruas ainda sofrem com enchentes. Moradores também reclamam da falta de fiscalização e do trânsito, que se complicou com as intervenções. Na Taquara, um trecho das obras está paralisado.

A Prefeitura do Rio de Janeiro já iniciou as obras em Jacarepaguá. Há anos, as chuvas causam enchentes na região e moradores perdem tudo com a água. Não bastasse isso, o trânsito e má fiscalização das obras trazem transtornos pra quem mora e trabalha em Jacarepaguá. A recuperação da bacia faz parte do Caderno de Encargos para as Olimpíadas de 2016 e, segundo a Prefeitura, custará R$ 364,9 milhões aos cofres públicos, divididos com o governo federal. A previsão de conclusão das obras é para o segundo semestre de 2015.

No rio Itanhaga as obras estão concluídas
No rio Itanhaga as obras estão concluídas

O presidente da associação de moradores da Praça Seca, Alexandre Fiani, questiona: “se não tivesse Olimpíadas e Copa, eles não teriam dinheiro para fazer essas obras. O que eu não entendo é que a gente paga imposto para que, né?”. Ele conta que, apesar das primeiras intervenções, “a situação ainda é complicada. Há meses eles estão trabalhando para fazer uma drenagem” e observa: “já era para ter começado antes, na verdade”. Segundo Alexandre, “o planejamento da obra está mal fiscalizado”. Ele diz que “o mal acabamento da das calçadas, por exemplo, já causou a queda de idosos. Eles vão atravessar, tropeçam, caem e se machucam”. Outra reclamação do presidente da associação de moradores foi a mudança do fluxo de ruas na região, que causou transtornos no trânsito.

A arquiteta urbanista Hermínia Garcia, é moradora da Praça Seca há 40 anos e, recentemente, entrou para a associação de moradores. Para ela, a situação está melhor hoje, mas a saga para conseguir as obras não conseguiu alcançar a Rua Baronesa, que ainda fica alagada quando chove. “Há alguns anos houve uma obra de mudança da tubulação de algumas ruas na Praça Seca. A Rua Baronesa não foi contemplada pela obra e eles nunca explicaram o motivo, na realidade”, conta. Segundo Hermínia, as obras demoraram para começar e causaram transtornos até a finalização. Contudo, ela observa: “O que eu reparei é que não houve um tratamento prévio em relação ao trânsito, ficou confuso”.

A arquiteta conta que tentou se reunir com Eduardo Paes, quando ele ainda era subprefeito da Barra da Tijuca, mas foi recebida por um secretário. “Levei imagens e vídeos que eu fiz das ruas alagadas. Quem me recebeu foi um secretário dele, não lembro do nome. Mas aquilo não deu em nada. A obra acabou sendo realizada há alguns anos só”, conta.

Jorge das Graças é morador da Taquara desde 1997 e faz parte da diretoria da associação de moradores da região. Ele denuncia que parte da obra do Rio Tindiba está paralisada. Perguntado se a Prefeitura deu alguma justificativa para os moradores, ele diz: “É claro que não. Isso não é típico da Prefeitura”. Ainda de acordo com Jorge, o Largo da Taquara enche em dias de chuvas mais fortes. Outro problema é que o Rio Tindiba corta a Rua Nelson Cardoso. Por isso, foi preciso fazer alterações no trânsito, trazendo transtornos para a população.

Eduardo Paes esteve em Jacarepaguá antes do início das obras e prometeu melhorias
Eduardo Paes esteve em Jacarepaguá antes do início das obras e prometeu melhorias

Para Jorge, se não fosse a verba das Olimpíadas e da Copa do Mundo, a Prefeitura não teria condições de realizar as obras. “O Rio de Janeiro recebeu investimento da União. Aliás, foi o estado que mais recebeu dinheiro”, enfatiza. Ainda assim, a Taquara enfrenta outro transtorno: a necessidade de uma reforma na ponte da Estrada Otero Santos. “Nós enviamos dois ofícios, um para a Secretaria Municipal de Obras e outro para a Rio Águas, mas não tivemos nenhum retorno”, lamenta.

A obra de macrodrenagem do Rio Tindiba também vem atrapalhando a vida dos moradores da Taquara. Jorge conta que a obra está passando por dentro de um condomínio, na Rua Andre Rocha. Além disso, “a Prefeitura correu muito com as obras, atrapalhou o trânsito e agora tem esse trecho parado. A gente espera que eles finalizem essas obras antes de novembro, que é quando acontecem as chuvas fortes”. Contudo, segundo o site da Prefeitura, a previsão de conclusão das obras é para o segundo semestre de 2015.

 * Do Programa de Estágio do Jornal do Brasil

Tags: enchentes, freguesia, jacarepagua, Obras, praça seca, saneamento, tanque, taquara

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.