Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

Rio

Polícia Civil do Rio doa CDs apreendidos para projeto socioambiental

Agência Brasil

Alunos que participam da capacitação profissional com foco em sustentabilidade de 13 comunidades, em sua maioria com a presença da Unidade de Polícia Pacificadora, se formaram hoje (17) nos projetos Fábrica Verde, EcoModa e EcoBuffet, da Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro. A solenidade ocorreu no Teatro João Caetano, no centro, com a formação de 582 alunos, e contou com a doação de 200 mil CDs e DVDs piratas apreendidos pela Polícia Civil para serem reutilizados no projeto.

Os projetos socioambientais são destinados a moradores em situação de vulnerabilidade social. O Fábrica Verde capacita profissionais em montagem e manutenção de equipamentos de informática, a partir de lixo eletrônico, já o EcoBuffet ministra aulas de culinária com técnicas de aproveitamento total dos alimentos. Já o EcoModa oferece qualificação em moda sustentável.

A aluna Ângela Maria da Silva Muniz, de 61 anos, que fez o curso no EcoModa Mangueira, pretende produzir as próprias peças para vender. "Lá eu aprendi a fazer bolsa, colar, costurar, estampar, bordar. Esse curso foi muito bom, aprendi muito e vou começar a produzir as minhas peças em casa para vender. Resolvi fazer o curso porque me aposentei, e só ficava naquele processo de atividade física. Pensei em aproveitar o tempo vago para aprender alguma coisa de bom, que vai me dar futuro. Valeram a pena esses cinco meses de curso", contou.

O projeto da Fábrica Verde é desenvolvido nas comunidades da Chacrinha, Vila Kennedy e Jardim Bangu. O EcoModa tem cursos em São Gonçalo, Cordovil, Guapimirim, Paracambi e na Mangueira. O programa do EcoBuffet, é realizado em São João de Meriti, Copacabana, Anchieta, Jacarezinho e também na Chacrinha. De acordo com o secretário estadual do Ambiente, Carlos Portinho, o objetivo é levar o projeto para o interior do estado.

"Hoje a gente reúne os três projetos na formação dos alunos e também na apresentação do trabalho deles, o que mostra que essas ações tem exito, tanto é que estamos expandindo e triplicamos o número de comunidades atendidas”, disse acrescentando que “ vamos  chegar ao interior do estado ou pelo menos nas principais regiões, criando polos para que essas atividades sejam iniciadas, capacitando várias pessoas, e futuros profissionais que vão ter oportunidade no mercado de trabalho".

A Polícia Civil conseguiu uma autorização do Poder Judiciário para doar cerca de 200 mil CDs e DVDs piratas apreendidos em uma só ação da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Propriedade Imaterial em abril deste ano para o projeto EcoModa. Segundo a delegada titular, Barbara Bueno, o objetivo é tentar reciclar os produtos que seriam inutilizados.

"É a primeira vez que a polícia vai dar esse tipo de destinação de material apreendido de crime. Tira o produto do crime gerando uma perda para o criminoso, e depois destina a um projeto socioambiental dessa relevância, disse.

“É um marco para polícia, é um símbolo muito forte de atuação da polícia em qualquer ação que contribui para a segurança pública.  A polícia deve permanecer engajada a esse tipo de projeto. Não tem que fazer só a repressão tem que estar engajada na prevenção", contou Bueno.

“Para a  Polícia  Civil esse projeto era tudo que a gente queria. A nossa parceria tem muito futuro. Acho que a Polícia Civil tem interesse e vai acabar firmando esse convênio com outras delegacias que  poderão  também doar os produtos apreendidos”, disse a delegada.

Tags: discos, doação, policiais, projetos, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.