Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Rio

Justiça nega habeas corpus a argelino Lamine Fofana

Agência Brasil

O Plantão Judiciário do Rio de Janeiro negou ontem (8) habeas corpus ao franco-argelino Lamine Fofana, suspeito de participar de um esquema de venda de ingressos para a Copa do Mundo, desarticulado pela Operação Jules Rimet, da Polícia Civil fluminense. Segundo o Tribunal de Justiça, a desembargadora Cristina Tereza Gaulia, argumentou que o pedido tinha os mesmos fundamentos de solicitações de habeas corpus já negadas anteriormente pela Justiça. 

Ontem, também foi negado um pedido de habeas corpus para Júlio Soares da Costa Filho, integrante dos 12 suspeitos do esquema. Os dois estão presos junto com os nove suspeitos devido a mandados de prisão temporária emitidos pelo Juizado do Torcedor.

>> "Ray sabe absolutamente tudo", diz autor de denúncias sobre Fifa

>> Executivo da Match, Ray Whelan foi contratado pela CBF na gestão de Teixeira

O décimo-segundo suspeito de integrar o esquema, o britânico Raymond Whelan, que havia sido preso na tarde da segunda-feira (7), foi solto por determinação da desembargadora Marília Castro Neves Vieira, depois de pagar uma fiança de R$ 5 mil e deixar seu passaporte sob os cuidados da Justiça.

O delegado Fábio Barucke deve encaminhar ainda hoje (9) o relatório final do inquérito sobre a Operação Jules Rimet, indiciando os 12 por associação criminosa e cambismo (venda ilegal de ingressos) e pedindo sua prisão preventiva.

Tags: Fifa, fofana, ingresso, máfia, ray

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.