Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Rio

Rio de Janeiro inicia obras do Complexo Esportivo de Deodoro

Agência Brasil

As obras do Complexo Esportivo de Deodoro, no subúrbio do Rio de Janeiro, que será usado nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, começaram oficialmente hoje (3). Durante 18 meses, serão construídas três instalações esportivas, reformadas quatro e montadas duas temporárias, ao custo de R$ 800,8 milhões.

A verba, do governo federal, será repassada à prefeitura do Rio de Janeiro – responsável pela obra. O complexo foi dividido em dois lotes de obras. Hoje, começam as do setor norte, sob responsabilidade das construtoras OAS e Queiroz Galvão, que incluem a construção do Estádio Olímpico de Canoagem Slalom, do Centro Olímpico de BMX e da Arena Deodoro.

Também estão incluídas nas obras do setor norte, a montagem da Arena de Rúgbi e Pentatlo Moderno e do Parque Olímpico de Mountain Bike, que serão desmontadas após os Jogos, e a reforma e adequação das instalações usadas nos Jogos Pan-Americanos de 2007: o Centro Olímpico de Hóquei sobre Grama, o Centro Aquático do Pentatlo Moderno e o Centro Nacional de Tiro Esportivo.

Já o setor sul, que ficará a cargo da IBEG Engenharia e Construções, incluirá a reforma e adequação do Centro Nacional de Hipismo, também usado nos Jogos Pan-Americanos de 2007. As obras de reforma do centro de hipismo começarão em agosto deste ano. Portanto, a previsão é que o Complexo de Deodoro seja entregue entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse que houve atraso no início das obras, mas apesar disso o cronograma está dentro do prazo. “A Olimpíada só vai deixar de nos preocupar quando ela acabar. A gente sabe que tem muita entrega [de obras], que tem muita coisa para fazer e a gente vai ficar alerta e atento o tempo todo. Mas, obviamente, [o início das obras de Deodoro] é mais um desafio vencido. Esse era nosso grande calo, que a gente supera hoje, passando a ter, inclusive, um prazo antecipado em relação àquilo que a gente tinha.”

Mesmo com muitas obras em andamento, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse não acreditar que ocorra, com os Jogos Olímpicos, o que houve na Copa do Mundo, quando alguns estádios só foram entregues poucos dias antes do início do evento.

“Se algum aprendizado tem que ser extraído da Copa, do que aconteceu até aqui, para as Olimpíadas é que nós precisamos fazer um esforço grande para cumprir o cronograma, cumprir os prazos, porque o tempo é um ativo que você não tem como repor, quando ele é perdido”, ressaltou Rebelo.

O prefeito do Rio de Janeiro também informou que não será necessário decretar feriado durante todos os dias dos Jogos Olímpicos (que duram quase um mês), mas que talvez seja preciso fazê-lo em alguns dias especiais, como na cerimônia de abertura.

O Complexo Esportivo de Deodoro será sede de 11 modalidades olímpicas – hipismo, equitação, pentatlo moderno, tiro esportivo, entre outras – e de quatro paralímpicas (tiro esportivo, hipismo, esgrima e futebol de sete).

Deodoro é o último local que abrigará novas instalações esportivas para as Olimpíadas a começar as obras.

Tags: deodoro, Esportes, Obras, olimpíadas, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.