Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Rio

Dilma e Pezão inauguram conjuntos residenciais na Zona Norte do Rio

Jornal do Brasil

O governador Luiz Fernando Pezão e a presidente Dilma Rousseff inauguram nesta segunda-feira (30/06) os conjuntos habitacionais Zé Keti e Ismael Silva, construídos no âmbito do programa Minha Casa Minha Vida. São 998 apartamentos que serão entregues a famílias desabrigadas por chuvas e que hoje recebem aluguel social, além de famílias em estado de vulnerabilidade social e que vivem em áreas insalubres. A entrega das chaves será feita às 17h30, no empreendimento, localizado no Estácio, Zona Norte do Rio.

Os conjuntos residenciais têm 43,5 mil metros quadrados de área construída, com 48 blocos de cinco pavimentos e 20 apartamentos em cada um, e dois blocos com 19 apartamentos cada um. Os imóveis medem 47 metros quadrados e têm dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço. Todas as unidades receberam acabamento interno com pisos de cerâmica e azulejos, além de contarem com caixas de luz individuais e disjuntores independentes.

Antigo endereço do Complexo Penitenciário da Frei Caneca, um dos maiores do estado, o terreno de 66 mil metros quadrados, no Estácio, Zona Norte do Rio, foi destinado a projetos de moradia de interesse social em 2011. O contrato foi assinado em 2012 e as obras levaram cerca de um ano e meio para serem concluídas.

Durante mais de um século, o terreno abrigou o complexo penitenciário que começou a ser construído no século XIX (1850) por Dom Pedro II e foi inicialmente chamado de Casa de Correção da Corte. Desde 1919 foram registradas diversas tentativas de desativar o lugar, mas isso só aconteceu em 2006, com a transferência dos últimos detentos para o Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste.  Coube ao Governo do Estado, a partir de 2008, a iniciativa de demolir os oito prédios que compunham o complexo, em 13 de março de 2010.

As unidades serão ocupadas da seguinte forma: 65% por famílias cadastradas pela Prefeitura do Rio, após ficarem desabrigadas pelas chuvas que em 2010 atingiram as comunidades Rocinha, em São Conrado; Prazeres, em Santa Teresa; Turano, no Rio Comprido; Santos Rodrigues e Azevedo Lima, no Complexo do São Carlos, no Estácio.

Os 35% restantes atendem a indicações da Defensoria Pública do Estado, dentre elas 20 famílias de índios que estavam na ocupação Maracanã; da comunidade Sinimbu, que vivem um prédio do Governo Federal próximo ao Morro da Mangueira; da comunidade do Cajueirinho (nas cercanias da Estação Central do Brasil), além de famílias da ocupação Mem de Sá, que sofrem ação de despejo para o cumprimento de decisão judicial de reintegração de posse.

Tags: . rio, entrega, moradias, populares, presidente

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.