Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Rio

Santos Dumont ficará fechado por cinco horas neste sábado

Funcionamento será interrompido das 16h às 21h por causa de jogo no Maracanã

Jornal do Brasil

Num Guia Prático sobre alterações do Espaço Aéreo para a Copa do Mundo é explicado que o Comando da Aeronáutica (Comaer), por meio do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, efetuou o planejamento que teve como foco “a segurança e a manutenção de um fluxo de tráfego aéreo rápido” durante o evento. Porém, a segunda parte do objetivo, que diz respeito à rapidez, poderá ser dificultada para os usuários, por conta do fechamento do Aeroporto Santos Dumont por cinco horas, neste sábado, quando haverá o jogo entre Uruguai e Colômbia, às 17h, no Maracanã.

>>Pessoas que tiveram voos cancelados por conta da Copa podem entrar na Justiça

O Guia mostra a região onde não pode acontecer voos 
O Guia mostra a região onde não pode acontecer voos 

A pausa no funcionamento do Santos Dumont começa uma hora antes do jogo (16h) e termina às 21h. A interrupção foi vista como necessária pela Força Aérea Brasileira (FAB) e acontece por determinação elucidada no próprio manual, já que o aeroporto está dentro da área classificada como “vermelha”, que atinge 4 milhas náuticas de raio, tendo como centro o Maracanã. Nesta área, só serão permitidas "aeronaves envolvidas nos eventos, desde que previamente autorizadas" e também aeronaves oficiais, como é explicado: "todas as operações de aeronaves serão proibidas, exceto as aeronaves de segurança pública, aeronaves militares, aeronaves SAR, ambulâncias ou envolvidas em atividades previamente autorizadas". O Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) está na área restrita classificada como “amarela” e, segundo a assessoria de imprensa do aeroporto, ele não será fechado nem voos serão alterados. Na área amarela,são permitidas "aeronaves comerciais de operação regular existente",voltando-se mais, aparentemente, para aviação particular. 

A outra região, maior, engloba o Galeão, mas não irá afetar os voos. 
A outra região, maior, engloba o Galeão, mas não irá afetar os voos. 

Para o vice-presidente da Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo, Alcebíades Santini, fechar um aeroporto nesse caso, é um exagero. “Em tese você está tomando uma atitude extrema e prejudicando os usuários da empresas aéreas. Deve existir continuidade e segurança nesse serviço e, caso ele venha a prejudicar uma coletividade cabe uma representação das pessoas lesadas”, comenta ele, direcionando quem se sentir lesado a entrar com uma representação no Ministério Público Federal. 

Sobre o funcionamento dos aeroportos, ele diz que a Associação tem recebido poucas reclamações nesse período de Copa. Porém, para ele, isso também pode estar relacionado com o fato de ter menos brasileiros em trânsito. “Eu, particularmente, tenho evitado viajar nesse mês, apesar de não termos o serviço esperado, aparentemente não tiveram grandes conflitos, grandes problemas, nos aeroportos. Mesmo com a ressalva da maioria deles estar com as obras inacabadas. Digamos que seja um estado de mal estar e não de prejuízo”, completa.

Ele ainda afirma que muitas empresas, temendo confusões e problemas durante os jogos, incentivam seus funcionários a não viajarem. “Tanto por medo de possível confusões em aeroportos devido ao aumento do fluxo internacional, quanto pelo aumento dos preços das passagens aéreas e a sequência de feriados, houve determinação de empresários para evitar viajar no período da Copa, o que pode mascarar problemas”, completa.

Para Mário Beni, professor de turismo da Universidade de São Paulo (USP), pelo fluxo eminentemente corporativo do Santos Dumont, os prejuízos provavelmente não serão grandes no que diz respeito a impacto no Galeão. “O turismo de negócios cai muito nesse período, Não acredito que vá criar nenhum impacto sério”, comenta ele. Por outro lado, ele também vê como um exagero as medidas de segurança que impactaram no aeroporto paralisado. “Eu confesso que não vejo necessidade para isso, é cautela exagerada”, completa.

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), por sua vez, comentou que “A recém anunciada definição de zonas de restrição ao tráfego aéreo durante o horário de jogos da Copa afeta cerca de 800 voos que seriam realizados nas cidades-sede, apenas 1,2% do total estimado de 67.779 voos no período”. A Força Aérea Brasileia foi contatada para comentar sobre o esquema de segurança, mas não respondeu até o fechamento desta matéria.  

Tags: AVIAÇÃO, copa do mundo, espaço aéreo, esquema de segurança, fab

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.