Jornal do Brasil

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Rio

PSB-RJ oficializa apoio a Lindbergh, pré-candidato ao governo do estado

Por sua vez, PT do Rio vai apoiar Romário para o Senado

Jornal do Brasil

A aliança estadual entre PSB e PT foi oficializada neste sábado (21), durante convenção do Partido Socialista Brasileiro, no Centro. O partido apoiará a candidatura do senador Lindbergh Farias, do Partido dos Trabalhadores (PT), ao governo do estado. Por sua vez, o PT do Rio apoiará a candidatura do deputado federal Romário (PSB-RJ) ao Senado.

"O nome de Romário para o Senado Federal ainda vai trazer muitas alterações porque vai ser difícil enfrentar o Baixinho. O nosso desafio é fazer um governo de esquerda no século XXI, com políticas públicas nas áreas de UPP, melhoras na polícia e na educação", disse Lindbergh.

Romário já havia antecipado, nas redes sociais, o apoio de Eduardo Campos à sua candidatura ao Senado:

"É, galera! Torcemos muito, mas, infelizmente, o resultado foi ruim para nós. Assisti ao jogo com o presidente nacional do meu partido, Eduardo Campos. Aproveitamos para conversar sobre política nacional e sobre o cenário político do Rio de Janeiro. Política e futebol, duas paixões nacionais. Neste encontro, como não poderia ser diferente, o presidente ratificou minha candidatura ao senado! Durante a semana, teremos novidades no PSB-RJ", escreveu Romário na última terça-feira (17).

PT propõe aliança com PSB no Rio, com Romário como candidato ao Senado

Na sexta-feira (20), o PT do Rio de Janeiro já havia avançado nas suas negociações para as eleições de outubro, em sua convenção regional realizada no diretório do partido, no Centro da cidade. Na parte da manhã, a executiva fluminense oficializou a candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do estado e, na parte da tarde, firmou uma proposta de aliança com o PSB do Rio. 

Roberto Amaral (PSB), Romário (PSB), Lindbergh Farias (PT) e Jandira Feghali (PCdoB)
Roberto Amaral (PSB), Romário (PSB), Lindbergh Farias (PT) e Jandira Feghali (PCdoB)

No encontro de sexta (20), estiveram presentes o próprio Lindbergh Farias, Romário, o vice-Presidente Nacional do partido, Roberto Amaral, o presidente do PSB/RJ, Glauber Braga, e a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB/RJ), que renunciou da sua candidatura ao Senado em favor de Romário. Lindbergh Farias disse que as negociações com o PROS (Partido Republicano da Ordem Social) estão avançando e a legenda pode fortalecer a aliança no Rio. "É o que queremos e estamos tentando. Estamos avançando", disse o senador com relação às conversas com o PROS, que anunciou nesta quinta (19) que o deputado federal Miro Teixeira decidiu retirar a sua pré-candidatura ao Governo do Rio de Janeiro.

Em seu discurso no diretório do PSB-RJ, Lindbergh Farias leu uma "nota ao povo do Rio de Janeiro", assinada pela coligação fluminense dos partidos dos Trabalhadores (PT), Partido Verde (PV) e Partido Comunista do Brasil (PCdoB). De acordo com o comunicado conjunto, as forças de esquerda do estado vivem atualmente a possibilidade de construir um projeto alternativo para a disputa do governo estadual, considerando ainda a aliança uma vitória para as eleições majoritárias e proporcionais. Os partidos buscam, conforme destacado na nota, um governo com participação popular, tendo nas mudanças sociais o seu grande foco das políticas públicas. Diz ainda que para atingir esses objetivos, convidam o PSB para "construir essa união das forças populares".

Lindbergh considerou a iniciativa de Jandira Feghali, de abrir mão da sua candidatura ao Senado, um ato generoso e de compromisso com a frente popular formada pela aliança partidária. Feghali agora deve tentar uma reeleição. A chapa majoritária dos partidos coligados terá como candidato a governador Lindbergh Farias, Roberto Rocco (PV-RJ) para vice-governador e Romário para o Senado. A aliança popular, segundo Lindbergh, também possibilitará um conjunto de candidaturas para deputados federal e estadual. 

Jandira Feghali saudou os representantes partidários presentes e se referiu ao diretório do PSB como 'um palco que pertence a todos os partidos aliados ali presentes, pois sempre foi um partido que representou a esquerda no Rio de Janeiro'. Feghali afirmou que o Rio de Janeiro está precisando de uma frente popular, como resultado de uma reunificação dos partidos de esquerda - "esse foi o esforço desde o início", destacou, justificando a coligação da sua legenda com Lindbergh Farias. Segundo ela, a aliança pode proporcionar uma "mudança real" no estado. "Desde o início nós dois [Jandira Feghali e Lindbergh Farias] compreendíamos a necessidade de ampliação dessa coligação para as forças de esquerda. É fundamental essa ampliação e trabalhamos para isso", disse a deputada. Ela ponderou que a chegada de Romário na coligação aumenta as "chances reais" de vitória  no estado. 

Roberto Amaral, o vice-presidente Nacional do PSB, avaliou que a coligação proposta é importante para "quebrar o eixo de desgovernança no Estado do Rio". Na sua opinião, esse encontro (das esquerdas com o Romário) será também "com a antiga geral do Maracanã, que está sendo expulsa dos nossos estádios, expulsa da Política". 

O deputado federal Romário fez um discurso breve e, bem humorado, brincou que a missão de falar depois do "mestre" Roberto Amaral não é nada fácil. Ele agradeceu Jandira Feghari por ter retirado a sua candidatura ao Senado e se comprometeu, enquanto candidato, em lutar com a mesma "figa" que Feghali. Romário disse estar muito empolgado com a coligação e considerou que essa pode ser uma grande saída para a política do Rio. Lindbergh definiu a aliança com o ex-jogador como um "gol de bicicleta no último minuto".

Tags: lindbergh, PT, Rio, romário, spb, urna eleição

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.