Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Rio

Padre Omar salva bósnio das ameaças de argentinos no Cristo Redentor

Portal Terra

Um torcedor da Bósnia foi "salvo" de um grupo de argentinos por um padre no Rio de Janeiro, um dia após os dois países se enfrentarem em uma partida da Copa do Mundo. O incidente ocorreu aos pés de um dos maiores símbolos da cidade, a estátua do Cristo Redentor.

O padre Omar Raposo, reitor do santuário do Cristo Redentor, disse que teve que intervir, de batina e tudo, para que um grupo de cerca de cem torcedores argentinos deixassem de amedrontar um homem com a camisa da Bósnia na segunda-feira, um dia após a Argentina vencer a Bósnia por 2 a 1 na Copa do Mundo, no Maracanã.

Os estrangeiros visitavam o monumento quando o fato aconteceu. “Os argentinos cercaram o bósnio, que estava sozinho, e começaram a cantar muito e a gritar em volta dele. Eles estavam zoando o bósnio, que ficou com uma expressão assustada”, relatou o padre.

Foi então que o religioso, que havia acabado de rezar uma missa no santuário, resolveu agir, apesar de não acreditar que o caso fosse evoluir para a violência. “Eu brinquei com os argentinos e disse que o bósnio era amigo do Papa Francisco”, relatou.

Acostumado a receber turistas de vários países no santuário, o padre disse que tem recebido inúmeros pedidos de bênçãos de torcedores para suas seleções de futebol. “Todo mundo pede bênção e diz que seu país tem que ganhar. Os torcedores espanhóis foram os mais aflitos. Na manhã antes do jogo contra o Chile, vários vieram aqui pedir ajuda”, contou Raposo.

O padre – que apesar de abençoar seleções de outros países, diz que torce pelo Brasil – já tem planos para o caso de a Seleção Brasileira chegar à final. “Estamos estudando a possibilidade de instalar um telão no platô do monumento. Estou checando a questão de direitos de imagem e dos custos”, afirmou.

Tags: Argentina, Copa, estátua, Mundo, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.