Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Rio

Polícia lança bombas de gás e dispersa protesto que ia em direção ao Maracanã

Jornal do Brasil

Manifestantes tentavam seguir em direção ao Maracanã neste domingo (15), mas foram impedidos pela Polícia Militar, que lançou bombas de gás e fez barreiras com a Tropa de Choque em ruas próximas. A multidão se dispersou nos arredores do Shopping Tijuca. Até agora, 21 pessoas foram detidas. 

Antes, o protesto seguia pela Avenina Maracanã e foi desviado para uma rua lateral, após as primeiras bomas de gás lacrimogêneo e de efeito moral lançadas pela polícia. Com a nova aproximação, os policiais reagiram novamente.

Mais cedo, os manifestantes lotaram a Praça Saens Peña, na Tijuca, próximo ao Maracanã, num protesto contra os gastos com a Copa do Mundo. Faixas com os dizeres "Fifa go home" são exibidas. A praça é um dos locais chaves de saída do metrô para se chegar ao Maracanã, que recebe Argentina e Bósnia hoje, às 19h. 

Muitos policiais estavam na área e circulavam revistando os manifestantes. Não houve tumulto ou confronto. O esquema de segurança foi reforçado com as presenças de policiais do Batalhão de Choque e da Força Nacional de Segurança, com o apoio de três helicópteros da Polícia Militar, que dão voos rasantes sobre a área.

O entorno do Maracanã está isolado e sob forte esquema de segurança, buscando evitar a aproximação dos manifestantes do estádio. A polícia monitora a manifestação, mas sem interferir, limitando-se a seguir o protesto pelas laterais do grupo. Um grande número de jornalistas estrangeiros também acompanha o protesto.

Protesto foi convocado pelas redes sociais e manifestantes criticam gastos com  a Copa
Protesto foi convocado pelas redes sociais e manifestantes criticam gastos com  a Copa

O protesto  "Não vai ter Copa! Fifa Go Home" está sendo convocado pela Frente Independente Popular, via redes sociais. No evento do Facebook, eles se explicam: "O grito ‘NÃO VAI TER COPA’ surgiu nas ruas, no levante popular de junho de 2013, quando milhares de pessoas em diversas cidades do país lutaram por melhores condições de vida e de trabalho. Gritar esse lema é se posicionar contra o total domínio do poder econômico e de seus interesses nas decisões políticas, que devem ser determinadas pelo povo e voltadas única e exclusivamente às suas reais necessidades".

Na página do evento são explicadas as pautas do protesto, que também incluem as remoções populares, além dos “elefantes brancos”, a elitização nos estádios e a repressão nos protestos. 

*Com informações da Agência Brasil

Tags: Copa, fifa go home, manifestação, maracanã, protesto, Rio, saens peña, Tijuca, zona norte

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.