Jornal do Brasil

Sábado, 24 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Rio

Desenho humano na Praia de Botafogo marca luta contra trabalho infantil

Agência Brasil

Cerca de mil pessoas formaram o desenho de um catavento nesta quarta-feira (11), na Praia de Botafogo, Zona Sul  do Rio, símbolo de combate ao trabalho infantil em todo o mundo. A ação faz parte da campanha mundial da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e recebeu o apoio da prefeitura do Rio e de várias instituições que desenvolvem trabalhos sociais com crianças e adolescentes.

A coordenadora do Programa Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil (Ipec) da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Maria Cláudia Falcão, explicou que o Brasil foi escolhido para sediar a campanha por ser o anfitrião da Copa da Mundo. “É um momento especial, pois temos grande quantidade de turistas aqui. E, por uma coincidência muito grande, o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil é dia 12 de junho, dia da abertura da Copa, então antecipamos a campanha para chamar a atenção para esse problema que acontece em todo o mundo”, comentou ela.

De acordo com a Pnad de 2012, do IBGE, havia no Brasil 3,5 milhões crianças entre 5 anos e 17 anos em situação de trabalho infantiltrabalho infantil

Maria explicou que a ideia do catavento como luta contra a exploração de crianças surgiu a partir de uma campanha da OIT do Brasil que acabou sendo adotada pelos demais países. “É um brinquedo, o movimento dele gera energia que simboliza nossa luta contra o trabalho infantil e, além disso, esse catavento tem cinco cores que representam a diversidade de raça, de gênero e todos os continentes”.

O estudante Pedro Gabriel Rodrigues Duarte, 14 anos, foi um dos voluntários que ajudaram a criar a forma do catavento. Para ele, nenhuma criança deveria trabalhar sem antes completar os estudos. “A criança deixa de fazer o presente dela para trabalhar antecipadamente e acaba lá na frente não tendo base nos estudos nem um bom emprego”, comentou ele.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra por Domicílios (Pnad) de 2012, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), havia no Brasil 3,5 milhões crianças entre 5 anos e 17 anos em situação de trabalho infantil. A legislação brasileira permite o trabalho de adolescentes maiores de 16 anos ou a partir dos 14 anos, em situação de aprendiz.“O problema aqui no Brasil é que mais de 80% das crianças que trabalham têm mais de 14 anos, mas a maioria não está trabalhando de maneira formalizada como aprendizes. Precisamos de um esforço maior para que essas crianças possam ser inseridas no mercado de trabalho de maneira formal e com todos os seus direitos assegurados”, explicou a coordenadora. Ela ressaltou, entretanto, que o Brasil é reconhecido internacionalmente por ter conseguido reduzir em 58% o número de crianças em situação de trabalho infantil em 20 anos.

Tags: Organização, Trabalho, crianças, internacional, mercado

Compartilhe: